Cidades do Estado de São Paulo, como Botucatu e Brotas, estão entre os destinos mais procurados por turistas brasileiros neste mês

O interior paulista está entre os destinos mais procurados pelos brasileiros em julho, segundo levantamento recente da Associação Brasileira das Agências de Viagem (Abav). Cidades da região, como Botucatu e Brotas, estão entre as preferidas.

O destaque é Campos do Jordão, que chega a receber 1,5 milhão de turistas nesta época, turbinado pelo Festival de Inverno, que neste ano vai até 29 de julho.

Como obras de infraestrutura são essenciais para atrair mais visitantes, no primeiro semestre deste ano, a Secretaria de Turismo do Estado de São Paulo liberou R$ 70,5 milhões, para beneficiar 97 cidades por meio de convênios com o Departamento de Apoio ao Desenvolvimento dos municípios turísticos (DADETUR).

“Aceleramos o ritmo para que estas cidades possam desenvolver suas ações de turismo e estejam mais preparadas para aumentar o fluxo de visitantes”, o secretário de Turismo do Estado de São Paulo, Vinicius Lummertz.

Apenas para Campos do Jordão, foram repassados R$ 2,4 milhões a convênios em andamento no município. As obras incluem urbanização do eixo principal e entorno do Portal e Capivari, infraestrutura em vias e áreas de interesse turístico no município, reformas de calçadas, iluminação e acessibilidade.

Além de Campos, outras cidades do interior de SP também têm bastante procura pelos turistas, como Águas de São Pedro, conhecida pelas estâncias com águas terapêuticas, e destinos voltados para ecoturismo e esportes radicais, como Botucatu, Brotas, Boituva, Eldorado, Serra Negra e Socorro.

Botucatu: a cidade mais sustentável do Estado

Tempo em Botucatu

Botucatu conquistou a primeira colocação na etapa de pré-certificação do programa Município VerdeAzul. O Programa é uma iniciativa da Secretaria Estadual de Meio Ambiente, que começou em 2007 e avalia os municípios com melhor desempenho em diversos quesitos ambientais, com o objetivo de medir e apoiar a eficiência da gestão ambiental.

A cidade alcançou os 92,53 pontos. Ao todo são 645 cidades no programa. A pré-certificação é uma parcial da certificação final, que ocorre no final do ano.

A Cuesta de Botucatu é a principal atração, dentre outras, da cidade. Trata-se de uma forma de relevo diferenciada com sua escarpa (popular “serra”) e o seu reverso, correspondente ao Planalto Ocidental Paulista e que criou desníveis de até 350 metros entre as áreas do topo e a baixada. O nome “Cuesta” deve-se à formação semelhante existente na Espanha.

O complexo Véu de Noiva, no Rio Pardo, tem represa e cascata com queda de 6 metros de altura, mata natural e de reflorestamento.

A Fazenda Pavuna oferece um grande lago com água potável (para banho), 4 cachoeiras (com quedas de 80 metros, 60 metros e 20 metros) todas com lago para banho. Além do banho, pode-se praticar esportes radicais.

As trilhas de acesso para as cachoeiras são de nível médio e difícil, em mata natural, na Cuesta de Botucatu.

O gigante-feitado fica no limite entre os municípios de Botucatu, Bofete e Pardinho. Conjunto rochoso, esculpido pela erosão do solo pelo vento, que, visto de longe, assemelha-se a um gigante deitado, destacando-se três partes: a cabeça, a barriga e os pés.

O morro que constituiria a barriga do gigante possui mata nativa preservada e reza a lenda que é a moradia dos “sacis” de Botucatu. O conjunto rochoso que seriam os pés é, na verdade, um grupo de três morros, também conhecidos como Três Pedras.

Brotas: suas belezas naturais e ecoturismo

 

A Estância Turística de Brotas é referência estadual e nacional em ecoturismo e seu encanto natural tem grande destaque, com muitas cachoeiras, nascente de água cristalina, além do Rio Jacaré Pepira, com suas corredeiras e afluentes. Brotas tem sua história ligada à produção rural e a economia agrícola, sua época áurea ocorreu no princípio de século com a cultura de café. No centro da cidade, podemos ainda avistar os Casarões da Avenida Mário Pinotti e o Museu do Café (Museu do Cotidiano).

A infraestrutura oferece mais de 40 meios de hospedagem, dezenas de operadoras de turismo de aventura e inúmeros sítios turísticos e atrativos.

Na gastronomia são mais de 62 meios de alimentação com culinária variada: lanches típicos do interior, salgaderias, comida de fazenda, caseira, contemporânea gourmet, massas, pizzarias, bistrôs e restaurantes temáticos.

O Parque dos Saltos, no Rio Jacaré Pepira, localizado no perímetro urbano é o cartão-postal de Brotas, pois o rio “corta” a cidade, formando várias quedas e corredeiras, onde anualmente são realizados vários eventos, principalmente ligados à prática dos esportes de aventura. Abriga ainda um prédio de valor histórico e arquitetônico da antiga usina hidrelétrica do início do século XX, quando Brotas já tinha iluminação pública elétrica, antes mesmo que alguns bairros da capital. Atividades: caminhada, observação de pássaros, de outros animais silvestres e contemplação.

A prainha da represa do rio Jacaré-Pepira tem área à beira da represa do Patrimônio onde foi montado um deck com pergolado e bancos, além de areia igual de praia, com acesso gratuito para banho na represa.

No local não há infraestrutura de banheiro, alimentação e não é permitido fazer churrasco e embarcar com jet sky. Está localizada no Bairro do Patrimônio, no Alto da Serra, a 23 km do centro da cidade.

Fonte: JCNet