Secretaria de Saúde de Botucatu emite nota oficial sobre febre amarela

 

Em função da relevância e crescente repercussão em torno do aumento de casos notificados e confirmados de febre amarela no país, o Núcleo de Vigilância Epidemiológica da Secretaria Municipal de Saúde de Botucatu destaca:

 

  1. Não há nenhum caso suspeito de febre amarela notificado na cidade de Botucatu até o presente momento;

 

  1. A cobertura vacinal para febre amarela da população botucatuense é bastante elevada (superior a 92%), ou seja, a imensa maioria da população está devidamente protegida;

 

  1. A rede municipal está abastecida com vacinas para os cidadãos que tenham indicação de vacinação, conforme orientações abaixo.

 

Que lugares são classificados como áreas de risco para febre amarela?

No Brasil, há uma extensa área de recomendação para vacinação contra febre amarela. Locais que têm matas e rios onde o vírus e seus hospedeiros (primatas não humanos, como macacos, saguis e bugios) e vetores ocorrem naturalmente são identificadas como áreas de risco (mapas Brasil e do estado de SP).

A vacinação de rotina é ofertada em 19 estados do país com recomendação para imunização. Todas as pessoas que vivem nesses locais devem tomar 2 doses da vacina ao longo da vida. Também precisam se vacinar, neste momento, pessoas que vão viajar ou que vivem nas regiões que estão registrando casos da doença: leste de Minas Gerais, oeste do Espírito Santo, noroeste do Rio de Janeiro e oeste da Bahia.

 

Botucatu

O município de Botucatu é considerado área de recomendação de vacina para Febre Amarela desde 2009, quando foram confirmados casos de febre amarela silvestre em humanos em nossa região (não houve nenhum caso de residente de Botucatu na época).

Naquela ocasião, foi realizada uma ampla Campanha de Vacinação na cidade, sendo que grande parte da população de Botucatu foi vacinada (118.958 doses em 2009), sendo atingida uma cobertura vacinal superior a 92% na cidade.

Deste modo, a imensa maioria da população está protegida e deverá receber uma dose de reforço apenas em 2019 (para os indivíduos que ainda não completaram as duas doses recomendadas).

Adicionalmente, foram administradas 1.393 doses da vacina em 2013, 2.477 doses em 2014, 9.105 doses em 2015 (ano de intensificação de campanha) e mais 6.628 doses em 2016, o que garante a ampla cobertura vacinal de nossa população.

Até o presente momento, não há nenhum caso suspeito notificado sendo investigado em Botucatu.

 

Orientações gerais:

A Organização Mundial da Saúde considera que apenas uma dose da vacina já é suficiente para a proteção por toda a vida. No entanto, como medida adicional de proteção, o Ministério da Saúde definiu a manutenção do esquema de duas doses da vacina de Febre Amarela no Calendário Nacional.

A coordenadora do Programa Nacional de Imunizações do Ministério da Saúde, Carla Domingues, esclarece que não há mudança no esquema vacinal da febre amarela. A estratégia de duas doses, adotada no Brasil, é segura e garante proteção durante toda a vida.

O esquema da febre amarela é de duas doses, tanto para adultos quanto para crianças. As crianças devem receber as vacinas aos nove meses e aos quatro anos de idade, de acordo com o Calendário Nacional de Vacinação). Assim, a proteção está garantida para o resto da vida (uma terceira dose não vai criar nenhuma proteção adicional).

 

SAIBA SE VOCÊ PRECISA TOMAR A VACINA DE FEBRE AMARELA OU NÃO EM BOTUCATU:

 

1.QUEM JÁ TOMOU 2 DOSES DA VACINA:

  • Quem recebeu duas doses da vacina, na infância ou na fase adulta, já está devidamente protegido (imune) para sempre e não precisa buscar o serviço de saúde para esta finalidade. Tomar uma terceira dose não aumenta a proteção; além de desnecessário, pode expor a pessoa a risco de reações adversas da vacina.

 

2.QUEM TEM A PARTIR DE 5 ANOS DE IDADE COMPLETOS E SÓ TOMOU UMA DOSE DA VACINA:

  • Se tomou a primeira dose depois de ter completado 5 anos de idade:
  1. a) Primeira dose administrada há menos de 10 anos atrás: não precisa se vacinar neste momento. Não há necessidade de antecipar a dose de reforço. Programar para tomar a segunda dose da vacina depois de 10 anos da primeira dose. (Exemplo: tomou a primeira dose aos 7 anos de idade em 2009; orientação: tomar a dose de reforço quando completar 17 anos de idade em 2019.
  2. b) Primeira dose administrada há mais de 10 anos: deve tomar uma dose de reforço agora.

 

  • Se tomou a primeira dose antes de completar 5 anos de idade: deve tomar a dose de reforço agora (intervalo mínimo de 4 semanas entre as doses). Procure a unidade de saúde mais próxima de sua residência com a carteira de vacinação. (Exemplo: criança de 6 anos de idade que só tomou a primeira dose aos 3 anos de idade; orientação: deve tomar uma dose de reforço agora).

 

  1. QUEM TEM A PARTIR DE 5 ANOS DE IDADE COMPLETOS, PERDEU A CADERNETA DE VACINAÇÃO E NÃO SE LEMBRA SE TOMOU A VACINA:
  • Procure o serviço de saúde que costuma frequentar e verifique a possibilidade de resgatar seu histórico e fazer uma segunda via da Caderneta.
  • Se não for possível comprovar, deve tomar uma dose da vacina agora e outra dose de reforço após 10 anos.

 

  1. QUEM TEM A PARTIR DE 5 ANOS DE IDADE COMPLETOS E NUNCA FOI VACINADO:
  • Deve se vacinar neste momento e tomar a dose de reforço após 10 anos.

 

  1. CRIANÇAS ENTRE 9 MESES ATÉ ANTES DE COMPLETAR 5 ANOS DE IDADE:
  • Conforme o Calendário de Vacinação Nacional, devem receber 1 dose aos 9 meses de idade e 1 dose de reforço aos 4 anos de idade.
  • Se a criança recebeu a primeira dose aos 9 meses, deve aguardar completar 4 anos de idade para receber o reforço. Não há necessidade de antecipar o reforço.
  • Se a criança recebeu a primeira dose aos 9 meses e não recebeu o reforço ao completar 4 anos, deve receber a dose de reforço neste momento.
  • Se a criança não recebeu a primeira dose aos 9 meses de idade, deve tomar a vacina agora e agendar a dose de reforço antes de completar 5 anos de idade (com intervalo mínimo de 30 dias entre as doses).

 

  1. SITUAÇÕES EM QUE A VACINA NÃO É RECOMENDADA:
  • A vacina é contraindicada para crianças menores de seis meses, idosos acima dos 60 anos, gestantes, mulheres que amamentam crianças de até seis meses, pacientes em tratamento de câncer e pessoas imunodeprimidas. Em situações de emergência epidemiológica, vigência de surtos, epidemias ou viagem para área de risco, o médico deverá avaliar o benefício e o risco da vacinação para estes grupos, levando em conta o risco de eventos adversos.

 

  1. SITUAÇÕES EM QUE SE RECOMENDA O ADIAMENTO DA VACINAÇÃO
  • Até três meses após o tratamento com imunodepressores ou com corticoides em dose elevada.
  • Vigência de doenças febris graves, sobretudo para que seus sinais e sintomas não sejam atribuídos ou mesmo confundidos com os possíveis eventos da vacina.

 

Casos de febre amarela no Brasil em 2017

O Ministério da Saúde registrou nesta terça-feira (dia 24/01/17, 21:01:37), 70 casos confirmados de febre amarela, sendo 40 mortes confirmadas. Outros 364 casos suspeitos permanecem em investigação.

Os casos foram registrados nos estados de Minas Gerais (66 casos confirmados, sendo 37 óbitos), Espírito Santo (1 caso confirmado; sem óbitos confirmados), Bahia (suspeitas não confirmadas), São Paulo e Distrito Federal (suspeitas não confirmadas). Os casos continuam concentrados na mesma região de mata silvestre dos 39 municípios mineiros com notificações de casos suspeitos.

“Estamos apoiando os estados na distribuição de doses extras de vacina contra a febre amarela. Todos eles estão abastecidos com a vacina e o país tem estoque suficiente para atender toda a população nas situações recomendadas. Não há necessidade de corrida aos postos de saúde porque há vacinas para atender à população residente nos municípios afetados pelos casos suspeitos”, afirmou o secretário Executivo do Ministério da Saúde, Antônio Nardi.

 

Casos de febre amarela no estado de São Paulo em 2017

A Secretaria Estadual de Saúde, através do Grupo de Vigilância Epidemiológica (GVE), informou nesta quarta-feira (25/01/17) a ocorrência de oito casos confirmados de febre amarela no estado de SP, com um total de cinco óbitos. Dois casos são autóctones (adquiridos no estado de SP, nas cidades de Batatais e Américo Brasilense).

Os outros seis casos são importados (indivíduos que visitaram o estado de MG), sendo três casos de São Paulo e os demais em Santana do Parnaíba, Jacupiranga e Ubatuba (1 caso em cada cidade). Outros 14 casos suspeitos notificados no estado de SP estão sob investigação. Não há nenhum caso suspeito na cidade de Botucatu até o presente momento.

 

Cuidados com o mosquito

É importante também destacar que a população precisa manter as medidas de prevenção contra o mosquito Aedes Aegypti, pois este além da Febre Amarela urbana, também se configura como um dos vetores de transmissão dos vírus da Dengue, Zika e Chicungunya.

A Secretaria Municipal de Saúde coloca-se à disposição de todos para eventuais dúvidas através do telefone (14) 3811-1100 ramal 105 e também  orienta a toda população que procure a Unidade de Saúde mais perto de sua casa para eventuais dúvidas:

 

UNIDADES DE SAÚDE

Espaço Saúde

Av Santana, 323 – Centro

Tel.:3811-1120

 

Policlínica CSI

Rua: Rafael Sampaio, 58 – Boa Vista

Te.: 3814-2022 / 3813-5111

 

Policlínica CECAP

Praça Carlos César,s/n – Cecap

Tel.: 3882-8913 / 3813-5168

 

Policlínica Jd Cristina

Rua José Miguel Salomão, s/n – Jd Peabiru

Tel.: 3814-2696

 

UBS COHAB I

Praça Cônego Agostinho Colturato, s/n – Cohab 1

Tel.: 3814-3413

 

UBS São Lucio

Rua dos Costas, 211 – Vila São Lucio

Tel.: 3814-1797

 

UBS V. Jardim

Rua: Pedro Colino, 263 – Flora Rica

Tel.: 3814-3140

 

USF Comerciários

Rua: Pedro Colino, 263 – Flora Rica

Tel.: 3814-3140

 

USF Real Park

Rua: Salvador Bavia, 450 – Real Park

Tel.: 3814-5177

 

USF Jd Peabiru

Rua: Afonso Fernandes Martins, s/n – Jd. Brasil

Tel.: 3813-2024

 

USF COHAB IV

Rua: Vicente Bertochi, 98 – Jd. Bandeirantes

Tel.: 3814-6311

 

USF Marajoara

Rua: Jorge Venâncio,161 – Parque Marajoara

Tel.: 3813-1300

 

USF César Neto

Rua: Firmino Pontes Ribeiro, s/n – Bairro de Anhumas

Tel.: 3882-0011

 

USF Vitoriana

Rua AntonioSandre s/n – Vitoriana

Tel.: 3882-2697

 

USF Jd Iolanda

Rua Lourenço Castanho, 2114 – JdIolanda

Tel.: 3882-9731

 

USF Jd Santa Elisa

Av. Rubens Rubio Rosa, 1168 – Jd Santa Elisa

Tel.: 3882-7202

 

USF Jd Aeroporto

Rua: Um, 60 – Jd Aeroporto

Tel.: 3813-9231

 

USF Santa Maria

Rua Carlos de Rosa 1480 – Jd Santa Mônica

Tel.: 3813-7542

 

USF Rubião Jr Zona Urbana / Zona Rural

Rua: Vicente Pimentel, 35 – Rubião Jr

Tel.: 3813-8283

 

CSE – Vila dos Lavradores

R: Gaspar Ricardo Jr., 181 Vl.dos Lavradores

Tel.: 3882-5222

 

CSE – Vila Ferroviária

Rua: João Gotardi, 392 – Vila Ferroviária

Tel.: 3882-2818

 

Fontes:

  • Ministério da Saúde do Brasil
  • http://portalsaude.saude.gov.br/index.php/cidadao/principal/agencia-saude/27371-saiba-quem-deve-se-vacinar-contra-a-febre-amarela.
  • CVE – Centro de Vigilância Epidemiológica do Estado de São Paulo “Prof. Alexandre Vranjac”.
  • http://www.blog.saude.gov.br/index.php/geral/52271-ministerio-da-saude-tira-duvidas-dos-internautas-sobre-a-febre-amarela

 

Botucatu, 26 de janeiro de 2017

Secretaria de Saúde de Botucatu