Secretaria de Saúde confirma morte por H1N1 em Botucatu

A Secretaria Municipal de Saúde confirmou na tarde desta quinta-feira, 21, junto ao Instituto Adolfo Lutz, os dois primeiros casos de gripe H1N1 em Botucatu, em 2018. No primeiro caso, um bebê de sete meses esteve internado no Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Botucatu e teve alta. No segundo, um jovem de 19 anos também foi internado no HCFMB, mas não resistiu e morreu. A família já foi comunicada sobre o diagnóstico.

“Lamentamos muito esta situação e solicitamos a população presente no grupo de risco da gripe, que procure as Unidades de Saúde e se previna. Entramos em contato com a Vigilância Epidemiológica Estadual e solicitamos um reforço no quantitativo de vacinas para a próxima semana”, afirma o Secretário Municipal de Saúde, André Spadaro.

A Campanha Nacional de Vacinação contra a Gripe tem, desde a última segunda-feira, 18, novos grupos alvos. Conforme determinação do Ministério da Saúde, crianças de 5 a 9 anos e adultos entre 50 e 59 anos também serão imunizados. Idosos, gestantes, puérperas, doentes crônicos, professores, trabalhadores da saúde e crianças de seis meses a cinco anos continuam recebendo as vacinas.

“Apenas 74,5% da população de risco se vacinou contra a gripe, número abaixo da meta estipulada pelo Ministério da Saúde, que é de 90%. Nossos postos estão abastecidos para atender a todos, portanto é muito importante o comparecimento às unidades de saúde”, finaliza Spadaro.

A dose da vacina que está sendo aplicada neste ano protege contra os três subtipos do vírus da gripe que mais circularam no Hemisfério Sul em 2017, conforme determinação da Organização Mundial da Saúde (OMS), incluindo o H1N1 e o H3N2. As vacinas estão disponíveis em qualquer unidade de saúde do Município, das 8 às 17 horas, de segunda a sexta-feira.