Saúde intensifica prevenção à febre amarela na zona rural de Botucatu

A Secretaria de Saúde de Botucatu iniciou nesta semana uma campanha direcionada à população da zona rural quanto à prevenção da febre amarela. Apesar da cobertura vacinal em Botucatu ser superior a 90%, a ação se faz necessária visto que as áreas de mata e rio são identificadas como de maior risco.

O objetivo é visitar mais de 264 propriedades rurais de Botucatu. Além das equipes de saúde que abrangem os distritos de Vitoriana, Rubião Júnior e César Neto, que concentram a maior extensão rural do Município, as unidades da Cohab 1, Cohab 4, Jardim Aeroporto, Santa Elisa, Jardim Cristina, Jardim Iolanda, Vila Jardim e os Centros de Saúde Escola (Vila Ferroviária e Vila dos Lavradores) também estão envolvidas nessa estratégia de intensificação da vacinação.

Vale esclarecer que o principal transmissor da doença para o ser humano é o mosquito que se alimenta do sangue dos primatas (macacos, saguis e bugios) e que vivem nas áreas silvestres. Por conta desse período de chuvas, é importante que a população mantenha as mesmas medidas de prevenção contra a proliferação do mosquito Aedes Aegypti. A principal delas é eliminar qualquer tipo de recipiente que possa acumular água para proliferação do mosquito, que além da febre amarela, também transmite os vírus da dengue, zika e chicungunya.

“Novamente queremos tranquilizar a população de Botucatu, que na sua imensa maioria já está imunizada contra a febre amarela. Mas claro que há casos de pessoas que ainda não tomaram sequer a primeira dose recomendada, que protege a pessoa pelo período de dez anos. A população da zona rural é a que mais nos preocupa neste momento devido à maior proximidade com os vetores da doença. Isso não exclui, no entanto, que a população da zona urbana não mantenha os mesmos cuidados. Afinal, o mesmo mosquito pode disseminar outras doenças”, argumenta o secretário municipal de Saúde, André Spadaro.

Botucatu e Brasil

O município de Botucatu é considerado área de recomendação de vacina para Febre Amarela desde 2009, quando foram confirmados casos de febre amarela silvestre em humanos em nossa região (não houve nenhum caso de residente de Botucatu na época).

Naquela ocasião, foi realizada uma ampla Campanha de Vacinação na cidade, sendo que grande parte da população de Botucatu foi vacinada (118.958 doses em 2009), sendo atingida uma cobertura vacinal superior a 92% na cidade. Deste modo, a imensa maioria da população está protegida e deverá receber uma dose de reforço apenas em 2019 (para os indivíduos que ainda não completaram as duas doses recomendadas).

Adicionalmente foram administradas 1.393 doses da vacina em 2013; 2.477 doses em 2014; 9.105 doses em 2015 (ano de intensificação de campanha); 6.628 doses em 2016; além de mais 2.324 doses somente no início deste ano, o que garante a ampla cobertura vacinal de nossa população.

Até o presente momento não foi confirmado qualquer caso da doença em Botucatu. Cabe ressaltar que um caso suspeito na cidade de Itatinga foi investigado, sendo descartado o diagnóstico de febre amarela. No Brasil, segundo o Ministério da Saúde, até esta terça-feira (7) já haviam sido confirmados 195 casos da doença: 173 no Estado de Minas Gerais; 18 no Espírito Santo e quatro em São Paulo. Do total de casos, 69 óbitos foram confirmados com diagnóstico de febre amarela.

Orientações gerais

A Organização Mundial da Saúde considera que apenas uma dose da vacina já é suficiente para a proteção por toda a vida. No entanto, como medida adicional de proteção, o Ministério da Saúde definiu a manutenção do esquema de duas doses da vacina de Febre Amarela no Calendário Nacional.

O esquema da febre amarela é de duas doses, tanto para adultos quanto para crianças. As crianças devem receber as vacinas aos nove meses e aos 4 anos de idade, conforme Calendário Nacional de Vacinação. De acordo com o Ministério da Saúde, a estratégia de duas doses, adotada no Brasil, é segura e garante proteção durante toda a vida. Ou seja, uma terceira dose não cria nenhuma proteção adicional ao vírus.

A Secretaria Municipal de Saúde coloca-se à disposição de todos para eventuais dúvidas através do telefone (14) 3811-1100 (ramal 105) e também  orienta a toda população que procure a Unidade de Saúde mais perto de sua casa para eventuais dúvidas.

SAIBA SE VOCÊ PRECISA TOMAR A VACINA

DE FEBRE AMARELA OU NÃO EM BOTUCATU:

 

1.QUEM JÁ TOMOU 2 DOSES DA VACINA:

  • Quem recebeu duas doses da vacina, na infância ou na fase adulta, já está devidamente protegido (imune) para sempre e não precisa buscar o serviço de saúde para esta finalidade. Tomar uma terceira dose não aumenta a proteção; além de desnecessário, pode expor a pessoa a risco de reações adversas da vacina.

 

2.QUEM TEM A PARTIR DE 5 ANOS DE IDADE COMPLETOS E SÓ TOMOU UMA DOSE DA VACINA:

  • Se tomou a primeira dose depois de ter completado 5 anos de idade:
  1. a) Primeira dose administrada há menos de 10 anos atrás: não precisa se vacinar neste momento. Não há necessidade de antecipar a dose de reforço. Programar para tomar a segunda dose da vacina depois de 10 anos da primeira dose. (Exemplo: tomou a primeira dose aos 7 anos de idade em 2009; orientação: tomar a dose de reforço quando completar 17 anos de idade em 2019.
  2. b) Primeira dose administrada há mais de 10 anos: deve tomar uma dose de reforço agora.

 

  • Se tomou a primeira dose antes de completar 5 anos de idade: deve tomar a dose de reforço agora (intervalo mínimo de 4 semanas entre as doses). Procure a unidade de saúde mais próxima de sua residência com a carteira de vacinação. (Exemplo: criança de 6 anos de idade que só tomou a primeira dose aos 3 anos de idade; orientação: deve tomar uma dose de reforço agora).

 

  1. QUEM TEM A PARTIR DE 5 ANOS DE IDADE COMPLETOS, PERDEU A CADERNETA DE VACINAÇÃO E NÃO SE LEMBRA SE TOMOU A VACINA:
  • Procure o serviço de saúde que costuma frequentar e verifique a possibilidade de resgatar seu histórico e fazer uma segunda via da Caderneta.
  • Se não for possível comprovar, deve tomar uma dose da vacina agora e outra dose de reforço após 10 anos.

 

  1. QUEM TEM A PARTIR DE 5 ANOS DE IDADE COMPLETOS E NUNCA FOI VACINADO:
  • Deve se vacinar neste momento e tomar a dose de reforço após 10 anos.

 

  1. CRIANÇAS ENTRE 9 MESES ATÉ ANTES DE COMPLETAR 5 ANOS DE IDADE:
  • Conforme o Calendário de Vacinação Nacional, devem receber 1 dose aos 9 meses de idade e 1 dose de reforço aos 4 anos de idade.
  • Se a criança recebeu a primeira dose aos 9 meses, deve aguardar completar 4 anos de idade para receber o reforço. Não há necessidade de antecipar o reforço.
  • Se a criança recebeu a primeira dose aos 9 meses e não recebeu o reforço ao completar 4 anos, deve receber a dose de reforço neste momento.
  • Se a criança não recebeu a primeira dose aos 9 meses de idade, deve tomar a vacina agora e agendar a dose de reforço antes de completar 5 anos de idade (com intervalo mínimo de 30 dias entre as doses).

 

  1. SITUAÇÕES EM QUE A VACINA NÃO É RECOMENDADA:
  • A vacina é contraindicada para crianças menores de seis meses, idosos acima dos 60 anos, gestantes, mulheres que amamentam crianças de até seis meses, pacientes em tratamento de câncer e pessoas imunodeprimidas. Em situações de emergência epidemiológica, vigência de surtos, epidemias ou viagem para área de risco, o médico deverá avaliar o benefício e o risco da vacinação para estes grupos, levando em conta o risco de eventos adversos.

 

  1. SITUAÇÕES EM QUE SE RECOMENDA O ADIAMENTO DA VACINAÇÃO
  • Até três meses após o tratamento com imunodepressores ou com corticoides em dose elevada.
  • Vigência de doenças febris graves, sobretudo para que seus sinais e sintomas não sejam atribuídos ou mesmo confundidos com os possíveis eventos da vacina.

Fonte: Prefeitura de Botucatu