Saúde e Educação farão campanha para prevenção e orientação sobre piolhos

A Secretaria Municipal de Saúde em parceria com a Secretaria de Educação iniciam a Campanha de orientação e prevenção à Pediculose (piolhos). A Campanha terá foco no tratamento e prevenção de piolhos em alunos da Educação Infantil e do Ensino Fundamental I da Rede Municipal.

As atividades envolvem profissionais de todas as Unidades de Saúde e também alunos do Curso de Graduação em Enfermagem e da Disciplina IUSC (Interação Universidade Serviço – Comunidade) da Faculdade de Medicina da Unesp de Botucatu.

A campanha é uma das atividades previstas para as escolas que fazem parte do “Programa Saúde nas Escolas”, que vê a escola como um espaço ideal para atuação entre a saúde e a educação, buscando não só tratamento de afecções como também a orientação, prevenção de novos casos e promoção da saúde.

Serão realizadas visitas às escolas e reuniões com gestores, pais e responsáveis e também com as crianças e adolescentes.  Além disto, poderão ser colhidos alguns piolhos para estudo de caracterização e resistência dos insetos pelo Departamento de Parasitologia do Instituto de Biociências da Unesp de Botucatu.

“Nós vamos até as escolas para sensibilizar os pais e responsáveis sobre a infestação por piolhos, principalmente nas crianças, que têm um contato mais próximo, facilitando a disseminação. Após passarmos todas as informações, solicitaremos que elas assinem um termo que autoriza a coleta de piolhos da cabeça das crianças”, explica a enfermeira Maria Cristina Heinzle, do Departamento de Educação em Saúde (SEDUCS) da Secretaria da Saúde.

Além de esclarecer as dúvidas dos pais sobre todo o tratamento, também serão passadas orientações sobre a importância de todos terem seus próprios materiais de higiene pessoal e de não compartilharem bonés, tiaras, presilhas, pentes e escovas de outras pessoas, uma vez que os piolhos não voam e não pulam como as pulgas, mas  andam de uma pessoa para outra através do contato físico ou através de objetos compartilhados.

Caso tenha uma pessoa com piolho em casa, todos devem ser examinados. Adultos também pegam piolho e por muitas vezes não terem coceira acham que estão livres.

O tratamento não será medicamentoso, mas consistirá na orientação da remoção dos piolhos e prevenção de novas infestações através do “método do pente fino”. Assim, eliminando-se os piolhos adultos, impede-se a reprodução destes e a continuidade do ciclo de vida, exterminando a infestação.

“O contagio do piolho não está relacionado com hábitos de limpeza e higiene. A criança não deve ser culpada por pegar esse parasita, pois isso só faz ela sentir-se envergonhada de um problema que é muito comum e afeta todas as classes sociais e etnias”, completou a enfermeira Maria Cristina.