Procura por vacinação contra a gripe é baixa em Botucatu

Até o próximo dia 01 de junho estará sendo realizada a Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza. Em todo o país a meta é de que 90% da população de risco seja imunizada, mas até o último levantamento, realizado em 19 de maio, menos da metade das pessoas que fazem parte do grupo de risco tomaram a dose, apenas 47%.

Em Botucatu, este número é um pouco maior, mas ainda está abaixo do esperado. Apenas 49,4% da população alvo da campanha procurou uma unidade de saúde para se imunizar.

O objetivo da Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza é imunizar gestantes, mulheres no período pós-parto (até 45 dias após o parto), idosos com 60 anos ou mais, crianças na faixa etária de 6 meses a menores de 5 anos (4 anos 11meses e 29 dias), trabalhador da saúde, professores públicos e privados, adolescentes e jovens de 12 a 21 anos de idade sob medida socioeducativas e população privada de liberdade e funcionários do Sistema Prisional, além de pessoas portadoras de doenças crônicas.

“Nós sabemos que as pessoas têm o hábito de deixar tudo para a última hora, mas com o início do frio, estamos pedindo para que quem ainda não se imunizou, procure uma unidade de Saúde. Nossos focos principais são as crianças, faixa etária que está muito abaixo da meta com índice de 21% apenas. Nos últimos dias já notamos um aumento no número de atendimentos do Pronto Socorro Infantil, resultado do crescimento das doenças respiratórias, o que torna ainda mais importante os pais levarem os filhos para vacinar”, afirma André Spadaro, Secretário Municipal de Saúde.

A dose da vacina que está sendo aplicada neste ano protege contra os três subtipos do vírus da gripe que mais circularam no Hemisfério Sul em 2017, conforme determinação da Organização Mundial da Saúde (OMS), incluindo o H1N1 e o H3N2. Vale ressaltar que a vacina não é recomendável apenas para quem tem alergia à proteína do ovo (usada na fabricação da vacina) ou para as pessoas que tiveram reações adversas graves em doses anteriores desta.

“Infelizmente ainda existem vários mitos envolvendo a vacina, inclusive que ela causa a gripe assim que a pessoa é imunizada, o que não é verdade. A vacina é feita apenas com partículas do vírus e não podem causar a doença. O que pode acontecer é que a pessoa esteja contaminada com o vírus e este se manifeste antes que a vacina comece a proteger o organismo, o que demora aproximadamente 2 ou 3 semanas. Por isto é importante receber a vacina o quanto antes”, destaca Maria Cristina Heinzle, enfermeira do Setor de Educação da Secretaria Municipal de Saúde de Botucatu.

Casos de gripe no Estado

Em 2018, já foram confirmados 146 casos de influenza em todo o Estado de São Paulo e 25 morreram em decorrência de complicações da doença. No ano passado, foram 1.021 casos e 200 mortes.

“Se vacinar contra a gripe é prevenir que o quadro evolua para uma doença respiratória mais grave, como uma pneumonia, e o paciente venha a óbito. A gripe deve ser levada a sério, principalmente para as pessoas que fazem parte de grupo de risco apontado pelo Ministério da Saúde”, afirma André Spadaro.

Além da vacinação, é importante a prevenção. Medidas simples como lavar as mãos com frequência e deixar ambientes arejados, com portas e janelas abertas, podem prevenir o contágio da gripe.

A Campanha de Vacinação contra a Influenza segue até 01 de junho, sem possibilidade de prorrogação. As vacinas estão disponíveis em qualquer unidade de saúde do Município, das 8 às 17 horas, de segunda a sexta-feira.

Mais informações:

Secretaria Municipal da Saúde

Rua Major Matheus, 07 – Vila dos Lavradores

Telefone: 3811-1100