Médico de Botucatu integra Centro de Contingência do Coronavírus

O médico infectologista, pesquisador e docente do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Botucatu Carlos Magno Castelo Branco Fortaleza foi escolhido para integrar o Centro de Contingência do Coronavírus criado pelo governo do estado após confirmação do primeiro caso da doença no Brasil, nesta quarta-feira (26), na capital paulista.

O Centro terá a função de monitorar e coordenar ações contra a propagação do novo coronavírus em São Paulo e contará com profissionais especialistas das redes pública e privada, com ênfase na área de Infectologia, sob a supervisão do Secretário de Estado da Saúde, José Henrique Germann.

Além de Fortaleza, a lista inclui o diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas, e os professores Marcos Boulos e Esper Kallas (HCFMUSP), Luiz Fernando Aranha (Unifesp) e Benedito Maciel (HC de Ribeirão). Para presidir a unidade, o governador João Doria convidou o médico infectologista David Uip.

O Centro definiu relação de hospitais de referência para o tratamento de casos graves – Hospital das Clínicas de São Paulo (HCFMUSP) e Instituto de Infectologia Emílio Ribas, na capital; HCs de Ribeirão Preto (USP) e Campinas (Unicamp) e Hospital de Base de São José do Rio Preto, no interior; e Emílio Ribas II, do Guarujá, no litoral.

Juntas, essas unidades contam com cerca de 4 mil leitos, sendo mil de UTI (Unidade de Terapia Intensiva). Hospitais privados também poderão integrar a rede, seguindo protocolos e disponibilizando leitos, se houver necessidade. Profissionais da saúde estadual vão reforçar os contatos com os serviços particulares para reforçar o alinhamento de ações. O Centro de Vigilância Epidemiológica do Estado, por sua vez, irá capacitar mais de 3 mil profissionais da área de saúde ao longo das próximas semanas em todo o estado e o Instituto Adolfo Lutz está preparado e possui kits diagnósticos para analisar amostras e realizar contraprova de laboratórios particulares se preciso.

Primeiro caso

O primeiro caso de Covid-19 no Brasil foi confirmado na terça (25) em um paciente do Hospital Albert Einstein. Seguindo orientação do Ministério da Saúde, o exame foi enviado para contraprova no Instituto Adolfo Lutz, laboratório de referência nacional de casos suspeitos e confirmado.

Fonte: JCNet