II Seminário de Humanização no Campo da Saúde discute a ética na pesquisa

É possível haver humanização quando o assunto são estudos envolvendo seres humanos? A ética entre estratégias, metodologias, métodos e técnicas de pesquisa das humanidades no campo da saúde e os aspectos éticos do uso de plantas medicinais na prática médica. Esses foram os temas que nortearam o II Seminário de Humanidades e Humanização no campo da saúde, realizado dia 30 de junho, no Salão Nobre da Faculdade de Medicina de Botucatu/Unesp (FMB), como parte do Curso de Especialização que trata do mesmo tema e é coordenado pelo Prof. Adjunto Rodolfo Puttini e Prof. Dra. Niura Ribeiro Padula.

Esse foi o segundo de nove encontros presenciais com o objetivo de discutir a humanização no campo da saúde.  O primeiro a ministrar palestra durante o evento do último sábado foi o Dr. Jorge Venâncio, coordenador do Conselho Nacional de Saúde (CONEP), que falou sobre “As novas perspectivas das ciências humanas no contexto da investigação clínica com seres humanos”. Em seguida, foi a vez da professora Profa. Dra. Silvana Molina, do Departamento de Enfermagem da FMB, coordenadora do Comitê de Ética em Pesquisa (CEP) da FMB, tratar do tema: “A resolução 510 no contexto da pesquisa científica na FMB”.  Encerrando o período da manhã foi o Prof. Adjunto André Balbi, superintendente do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Botucatu (HCFMB) falou sobre “Os projetos de humanização e a ética na assistência à saúde dos usuários do Hospital das Clínicas da FMB”.

No período da tarde, a convidada Maria Thereza Lemos de Arruda Camargo apresentou aos alunos do curso o tema interdisciplinar: “Etnofarmacobotânica no campo da saúde: o popular em foco”.

Robson Braguetto, aluno do curso de especialização em Humanidades e Humanização no campo da saúde e que trabalha na Maternidade Santa Isabel, em Bauru, avalia que a humanização é uma nova realidade na assistência. “Esse curso soma muito na formalização do nosso conhecimento. Conseguimos, por meio dele, aliar conhecimento prático, com o teórico e técnico. E, sem dúvidas, quem ganha no final são os pacientes. Eles são os principais beneficiados”, afirma.

Gercilene Cristiane Silveira, enfermeira e também aluna do curso, comenta que essa oportunidade de qualificação tem feito com que ela consiga aprimorar suas técnicas de acolhimento dos pacientes e ajude a melhorar a qualidade da assistência. “Trabalhamos com pacientes de todas as idades: crianças, adultos, idosos e cada um precisa receber cuidados de maneira individualizada. “O curso tem nos trazido conteúdo para que possamos entender a importância da humanização, tema que antes víamos apenas como uma benevolência. Hoje eu entendo que isso reflete diretamente na qualidade da assistência”, observa.

Brayan Lopez, mais um aluno do curso e que tem formação como médico veterinário, salienta que muitas pessoas entendem que os profissionais da sua área não têm uma relação íntima com as pessoas, mas estão enganados. “Nós curamos muitas angústias dos donos dos animais dos quais cuidamos. Então, esse curso tem me ensinado a lidar com as pessoas no âmbito filosófico, antropológico e psicológico. Tem sido uma experiência enriquecedora poder conviver com profissionais de outras áreas.

Sobre o Curso de Especialização

O Curso de Humanidades e Humanização é estruturado na Faculdade de Medicina de Botucatu/Unesp (FMB) e está voltado para o câmpus da Unesp de Botucatu, que agrega quatro Faculdades das Ciências da Vida (Medicina, Biologia, Veterinária, Agronomia). Os docentes coordenadores, de formação das Ciências Sociais e Humanas, estruturaram esse espaço para o desenvolvimento de diálogos com as Humanidades, aproximando o campo científico das Ciências Humanas de outro campi da Unesp, espalhados no interior paulista. Nessa primeira edição, o Corpo Docente do Curso de Especialização é composto de professores do Campus Unesp de Botucatu, Araraquara e Marília.

Sobre os próximos Seminários de Humanidades e Humanização

O calendário dos Seminários atende as necessidades dos integrantes do curso, para realização aos sábados, a cada cinco semanas. Composto sempre de uma mesa redonda com convidados especiais que atuam no campo da saúde, esses seminários estão programados para possibilitar a qualificação dos alunos, também abertos à comunidade acadêmica e aos munícipes de Botucatu e cidades da região. Confira as próximas atividades do curso:

11/ago/18 –  III Seminário Interno

15/set/18 –  III Seminário Externo