Hospital das Clínicas de Botucatu recebe novo aparelho de ressonância magnética

Equipamento trará benefícios para a assistência ao paciente

Na última semana, o Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Botucatu (HCFMB) recebeu um novo aparelho de ressonância magnética com o objetivo de aperfeiçoar cada vez mais a assistência aos pacientes. O equipamento foi adquirido com recursos da Secretaria de Estado da Saúde (SES), liberados em 2019. O investimento é da ordem de R$ 3,9 milhões.

O novo aparelho possui 1,5 Tesla de campo fechado, com aplicação em diversas especialidades, entre elas: neurologia, angiografia, cardiologia, oncologia, ortopedia e pediatria. Ele se soma ao aparelho de 3 Tesla já existente no Parque Tecnológico do HCFMB.

Vinícius Ramires, coordenador da Gerência de Engenharia Clínica (GEC) do HCFMB, afirma que o novo equipamento atenderá principalmente a crianças recém-nascidas e com baixo peso corporal, resultando, a longo prazo, em uma redução do tempo de espera. “Esta nova tecnologia trará uma série de benefícios aos gestores, profissionais e, principalmente, aos pacientes, contribuindo para o atendimento de excelência à nossa cidade e à região”.

Segundo Dr.ª Érika Ortolan, Diretora de Assistência do HCFMB, a nova ressonância está em fase final de instalação, com início de funcionamento programado para dezembro deste ano. “Com essa aquisição, conseguiremos dobrar a nossa capacidade de realização de exames de ressonância, suprindo uma grande carência da nossa região”.

Para o Superintendente do HCFMB, Dr. André Balbi, a aquisição de mais um equipamento de ressonância integra o plano de atualização e ampliação do Parque Tecnológico atual do Hospital, desenvolvido junto com a Engenharia Clínica. “A aquisição de novos aparelhos assistenciais tem o objetivo de oferecer o que há de melhor e mais moderno aos diversos setores do Hospital, de modo a aprimorar o nosso atendimento. Esse tipo de investimento consolida o HC como uma unidade de vanguarda, que diariamente se preocupa em trabalhar para oferecer uma melhor assistência aos pacientes”, encerra.