Fibrose Cística: a conscientização é o melhor tratamento

 

O Dia Nacional de Conscientização e Divulgação da Fibrose Cística é celebrado no dia 5 de setembro. Considerada grave, a fibrose cística afeta especialmente órgãos do sistema respiratório e digestivo das crianças, causando o acúmulo de muco denso nos pulmões, no trato digestivo e em outras áreas do corpo.

Conhecida também como mucoviscidose, sua incidência é maior nas regiões Sul e Sudeste, onde vivem mais pessoas com características caucasianas (de pele mais clara). Porém, pacientes com fibrose cística são diagnosticados em todos Estados, mesmo os de etnia mulata/negra. Os sintomas mais comuns são a tosse crônica, suor excessivo e salgado, pneumonias, dificuldade de ganho de peso e estatura, pólipos, entre outros.

Segundo a responsável pelo Serviço de Pneumologia Pediátrica e Fibrose Cística do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Botucatu (HCFMB), Dra. Giesela Fleischer Ferrari, muitas crianças com fibrose cística não apresentam nenhum sinal ou sintoma da doença no nascimento. “O teste do pezinho, feito entre o 3º e 5º dia de vida do bebê, é uma maneira de identificar precocemente a fibrose cística e outras doenças. Caso a doença seja identificada, é necessário iniciar o tratamento imediatamente”, diz.

O tratamento do paciente com fibrose cística consiste em acompanhamento médico regular, alimentação saudável, utilização de enzimas pancreáticas, suplementação vitamínica (vitaminas A, D, E, K) e fisioterapia respiratória. Além do esquema vacinal habitual, as crianças devem receber também imunização complementar específica. Não há formas de prevenção da fibrose cística, e, quando diagnosticada, não há cura. O tratamento adequado proporciona uma melhor sobrevida e qualidade de vida ao paciente.

Dra. Giesela acredita que a conscientização sobre a doença é fundamental. “A divulgação da fibrose cística é de extrema importância para a população e agentes de saúde. O diagnóstico precoce é essencial para uma abordagem preventiva e tratamento adequado, evitando maiores danos à vida da criança e do paciente adulto”, explica.

Atendimento no HCFMB

O Centro de Referência para Tratamento de Fibrose Cística do HCFMB oferece o tratamento usado mundialmente, incluindo exames de cloro no suor , para confirmar o diagnóstico. Atualmente, a unidade atende cerca de 80 pacientes, diagnosticando em torno de seis casos novos por ano.

Assessoria de Imprensa – Núcleo de Comunicação, Imprensa e Marketing
Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Botucatu