Enfermagem do HC Botucatu “veste sorrisos” para atender pacientes com COVID-19

Profissionais colaram “fotos sorridentes” em seus aventais para atender pacientes de forma humanizada

Para tornar o ambiente mais leve e aumentara humanização no atendimento, os profissionais de enfermagem do Hospital das Clínicas de Botucatu, unidade da Secretaria de Estado da Saúde, resolveram inovar no visual: agora, durante os atendimentos, os pacientes internados na ala de COVID-19 se deparam com fotos pessoais “sorridentes”, nomes e funções presas aos aventais dos profissionais.

A iniciativa tem reforçado os laços com os pacientes, além de promover um melhor acolhimento em meio à solidão do isolamento em período de internação. Em respeito às medidas de prevenção ao coronavírus, a cada atendimento os profissionais trocam a paramentação e higienizam com álcool em gel as fotos, impressas em papel fotográfico.

“Por trás das máscaras, aventais e das muitas camadas de roupas que compõem o visual obrigatório destes profissionais de saúde, existem seres humanos. Começamos a pensar em como melhorar o atendimento dos nossos pacientes e chegamos à conclusão de que a foto seria uma boa opção”, explica a enfermeira do HC Botucatu, Solene Vale. “O paciente se sente acolhido ao poder ver rosto do profissional responsável pelo seu atendimento, já que está em um período de isolamento”, afirma a profissional.

Frases como “eu te imaginava de outra forma” e “agora eu sei quem é você” foram as primeiras a serem ouvidas pela equipe quando a ação foi colocada em prática. “É muito gratificante poder deixar o paciente mais confortável em uma situação tão delicada. Assim, ele pode nos chamar pelo nome e saber que quem está por trás da máscara é uma pessoa normal, como ele”, destaca a diretora de assistência da unidade, Erika Ortolan.

Perfil assistencial

Desde o início da pandemia, o HCFMB atua como referência no tratamento de casos graves de COVID-19. Desde então, vem cumprindo este importante papel. A unidade conta com mais de 70 leitos destinados à COVID-19, sendo 24 de UTI e 50 de enfermaria.