A emoção dos profissionais que vacinaram Botucatu

 

Maria Cecília Zuccari (serviços gerais)

Um domingo ensolarado, de céu incrivelmente azul, com as ruas da cidade movimentadas desde as primeiras horas do dia. No semblante da população, o olhar é de esperança. Sentimentos de alívio e renovação se misturam. Este foi o retrato de Botucatu neste inesquecível 16 de maio. Dia da Vacinação em Massa contra o COVID-19.

A data, que será lembrada para sempre, faz parte do projeto de pesquisa da Astrazeneca/Oxford Fiocruz para avaliar a efetividade da ação da vacina contra as variantes do novo coronavírus.

Com o objetivo de vacinar 106 mil pessoas, com idade acima dos 18 anos, uma detalhada logística foi programada, sob coordenação da Prefeitura, com o apoio fundamental de uma importante parceira: a OSS Pirangi. A Organização Social de Saúde contou com mais de 600 profissionais contratados, mobilizados e distribuídos em 21 pontos de vacinação coordenados diretamente pela Instituição, além de diversos profissionais que contribuíram com as equipes dos demais 24 locais de atendimento.

Muito mais que agentes estratégicos em saúde, artesãos, Assistentes sociais, auxiliares administrativos, auxiliares e técnicos de enfermagem, auxiliares de serviços gerais, dentistas, educadores em saúde, enfermeiros, farmacêuticos, médicos, motoristas, psicólogos, terapeutas ocupacionais, voluntários! Homens e mulheres, orgulhosos pela missão de fazer parte de um dia histórico – como muitos fizeram questão de classificar este domingo. Pessoas que trabalharam duro nos últimos dias para deixar tudo pronto e imunizar a população de Botucatu com a primeira dose da vacina que promete ser o marco de um novo tempo.

Organização e liderança

Enf. Rafael Nascimento de França Santos e Enf. Jaqueline Cristina Barbosa de Farias (Pedretti)

É o caso do enfermeiro da Pirangi Rafael Nascimento de França Santos. Aos 33 anos de idade, ele foi o responsável por coordenar a vacinação na Escola Estadual Prof. Pedretti Neto. “Foi realmente uma preparação intensa para que tudo ficasse organizado. Definimos a quantidade de insumos que seria utilizada, escolhemos um local arejado para a aplicação da vacina, determinamos os fluxos de entrada e saída das pessoas para evitar ao máximo o contato. Apesar do alto fluxo de pessoas, tudo correu bem”, conta.

Rafael fez questão de ressaltar a importância da participação da sua equipe, composta por 28 profissionais, divididos em dois locais de vacinação. Cada área tinha um líder que era responsável por resolver as dúvidas pontuais e só levar até o coordenador aquilo que não conseguisse encaminhar.

Sobre a sensação de fazer parte do chamado “Dia D”, Rafael não esconde a emoção. “Tenho um grande orgulho de participar deste dia, por ajudar nossos munícipes a se imunizarem contra essa doença. Não queremos mais ver nossos governantes lamentando os óbitos de pessoas jovens. Estou emocionado. Como profissional, a gente busca um dia como esse. Agradeço muito a minha equipe, pois sem ela nada teria sido possível”, destaca.

Trabalho em equipe – Enquanto isso, em um dos portões de acesso à Escola Pedretti Neto, com a missão de orientar as pessoas sobre o passo a passo até o momento da imunização, a profissional de serviços gerais, Maria Cecília Zuccari, comenta eufórica sobre este momento importante para ela e para a cidade de Botucatu “É muito gratificante, pois essa vacinação vai melhorar muito a vida da nossa população. Minha atuação aqui é importante para orientar as pessoas e não gerar filas. Vim trabalhar muito feliz. Temos que dar graças a Deus por esse momento”, disse.

“Um dia para guardar e contar para os meus netos”

Já no Centro de Educação Infantil Professora Jurema Ramos Cordeiro, no Jardim Santa Mônica, a equipe da enfermeira Adriana Cavazzane Módolo foi quem cuidou, com muito carinho, para que uma parte dos botucatuenses fosse imunizada. Ela conta que todas as etapas de preparação foram bem pensadas. “É muito gratificante poder coordenar a minha equipe (com 21 profissionais) nesse dia tão especial. São todos muito dedicados. Hoje é um dia histórico. Estamos vendo a alegria no rosto das pessoas que estão sendo vacinadas. Esse é um dia que vai ficar na minha memória para eu contar para os meus netos”, salienta.

Ainda no mesmo local, a auxiliar de farmácia Valdineide Silva Costa era só alegria. Sua função era orientar as pessoas sobre os fluxos de atendimento dentro da escola. “Hoje é um dia que vai marcar a minha vida, a de Botucatu e do mundo inteiro. Estou muito feliz por fazer parte disso tudo”, garante.

Emoção em ambos os lados da seringa

No Complexo Esportivo Heróis do Araguaia, no Jardim Iolanda, o movimento foi intenso. O local foi um dos quatro pontos de apoio para os munícipes com comprovante de endereço, porém sem o cadastro eleitoral (título de eleitor). Lá, 38 profissionais da Pirangi atenderam a população. médicos, enfermeiros, auxiliares de enfermagem, fisioterapeutas, entre outros. A estimativa era de que 4 mil pessoas fossem vacinadas naquele ponto.

A enfermeira Michelle Cristine de Oliveira Minharro, coordenadora dos trabalhos no Complexo, destaca que todos passaram por um treinamento detalhado antes do “Dia D”, principalmente em função de ser uma campanha de grandes proporções. “Como profissional da enfermagem, para mim é um momento único. As pessoas estão emocionadas, tanto quem está trabalhando quanto quem vem para receber a vacina. É um marco profissional. Além de ser maravilhoso ver nossa população sendo vacinada. Quanto esperamos por isso! Dou graças a Deus por participar deste momento”, resume.

Daniela Silva e Telma Marques Medeiros, coordenadoras de serviços da OSS Pirangi relataram que foram dias de muita organização e trabalho, porém, o sucesso do dia “D” de vacinação contra a COVID-19 certamente foi em grande parte por este sentimento de alegria e emoção que se explodia em energia de trabalho.

“Obrigada a todos, profissionais e a população! Sem este clima maravilhoso não teríamos sido tão bons! Mais 65 mil pessoas vacinadas em 10 horas! Foi um momento em que nos vimos importantes, salvando vidas, representando o SUS, o Programa Nacional de Imunização Brasileiro, mostrando do que somos capazes! Desejamos muito que os resultados do estudo AstraZeneca em Botucatu seja um sucesso e que a vacina chegue para toda a nossa nação”, finaliza Daniela.

Assessoria OSS Pirangi