Docente do IB de Botucatu faz lives para orientar sobre nutrição de bebês

Os primeiros mil dias de uma criança estabelecem as bases de uma vida saudável.

Os primeiros mil dias compreendem desde o período da gestação até o aniversário de 2 anos da criança. Essa fase estabelece as bases de uma vida saudável e, por isso, oferece uma janela de oportunidade única para construção de um futuro mais saudável.

Ao mesmo tempo que representa um enorme potencial, também é um período extremamente vulnerável. A má-nutrição materna, por exemplo, pode prejudicar o desempenho escolar e a habilidade motora infantil.

Por outro lado, uma nutrição balanceada pode prevenir o desenvolvimento de doenças na vida adulta, como diabetes e obesidade. A boa notícia é que, com cuidados simples, é possível garantir um desenvolvimento saudável para os pequenos.

“A nutrição é um dos pontos mais importantes nesse período. Estudos mostram que alterações na nutrição materna, tanto na gestação quanto na lactação, podem prejudicar o desenvolvimento do bebê e aumentar as chances de a criança desenvolver problemas como obesidade e diabetes futuramente. Apesar da subnutrição ter efeitos devastadores nesse período, o consumo de alimentos em excesso também é prejudicial”, explica a Profa. Dra. Ana Carolina Inhasz Kiss, docente do Departamento de Biologia Estrutural e Funcional do Instituto de Biociências da Unesp de Botucatu(IBB) e coordenadora do projeto de extensão “Cuidado e saúde nos primeiros mil dias de vida”.

De acordo com a pesquisadora, o conceito dos “Primeiros 1000 dias” tem sido adotado por governos e ONGs para chamar atenção à necessidade de programas de conscientização sobre a saúde materna e da criança. Por isso, a iniciativa para o projeto surgiu justamente da vontade de aproximar a vivência no laboratório com o dia-a-dia de pais e cuidadores.

“Nosso objetivo é trazer o conhecimento científico dessa área de forma dinâmica e acessível para a população em geral e, com isso, conscientizar sobre a relevância desse período e promover hábitos de vida saudáveis”, explica a pesquisadora.

Para essa aproximação, os membros do projeto organizaram uma série de lives, intitulada “Os Primeiros Mil Dias”, que acontecerá de maio a dezembro, trazendo temas diferentes a cada mês. A ideia é promover um espaço multidisciplinar, com profissionais de diferentes áreas, como fisioterapeutas, médicos, nutricionistas, pesquisadores, enfermeiras, entre outros.

Entre os temas propostos estão “Benefícios da atividade física antes, durante e após a gestação”, “Dicas para a introdução alimentar do bebê”, “Como a COVID-19 pode afetar você e seu bebê” e outros. As lives estarão abertas para os envolvidos nos cuidados com crianças pequenas, profissionais da saúde e educação e todos os demais interessados no tema, para que possam ser esclarecidas dúvidas e ocorra a desconstrução de tabus sobre a gravidez e a alimentação dos pequenos.

“É comum, por exemplo, que gestantes acreditem que devem “comer por dois” durante a gestação. Entretanto, um adicional de 300 calorias por dia é suficiente para uma progressão saudável da gestação, incluindo ganho de peso adequado. Além disso, a gestação pode ser vista como uma oportunidade para aumentar a ingestão alimentar porque o ganho de peso não é só esperado, como também encorajado. Assim, as gestantes tendem a exceder a ingestão calórica recomendada, levando a consequências para mãe e seu filho”, explica.

Para melhor alinhar os temas com os interesses do público, os organizadores estão divulgando uma enquete. Todos estão convidados a contribuir com essa etapa inicial do projeto respondendo ao questionário no link abaixo:

https://forms.gle/DjmXe3T9bemZPPHr7

“É importante divulgar a relevância da adoção de hábitos saudáveis antes, durante e após a gestação. Esperamos que os nossos bate-papos auxiliem pais e responsáveis a promoverem escolhas saudáveis e conscientes sobre esse período da vida, baseando-se em informações respaldadas por estudos científicos”, finaliza.