Dia Mundial do Rim deste ano terá como tema “Saúde dos rins para todos”


Idealizado pela Sociedade Internacional de Nefrologia (ISN), o Dia Mundial do Rim tem como objetivo reduzir o impacto da doença renal em todo o mundo, sendo promovido na segunda quinta-feira do mês de março.

Em Botucatu, a data será lembrada em diversas atividades que serão realizadas durante todo o mês de Março, nas Unidades e Serviços de Saúde, conscientizando as pessoas sobre a necessidade de prevenção e diagnóstico precoce da Doença Renal Crônica.

Em 2020, a data será celebrada no dia 12 de março e trará o tema “Saúde dos rins para todos”.

“Estima-se que 850 milhões de pessoas em todo o mundo tenham doenças renais de várias causas. Um em cada dez adultos tem doença renal crônica, que é invariavelmente irreversível e progressiva. Por isso é muito importante que a população esteja sempre atenta e se previna”, afirma André Spadaro, Secretário Municipal de Saúde.

No dia 12, médicos e enfermeiros da Atenção Básica participarão de treinamento sobre prevenção, diagnóstico e tratamento da doença renal crônica.

No dia 14, a Secretaria da Saúde em parceria com o HCFMB da Unesp (Ligas do Rim e Hipertensão) estarão com stands na Praça do Bosque e no Shopping Botucatu realizando aferição da pressão arterial e fornecendo orientações sobre a prevenção da doença renal.

As unidades de Saúde do Município também estão preparadas para durante todo o mês oferecerem orientações aos pacientes.
Sobre a Doença Renal Crônica
A doença renal crônica (DRC) se caracteriza por lesão nos rins que se mantém por três meses ou mais, com diversas consequências. Os rins têm muitas funções, dentre elas: regular a pressão, filtrar o sangue, eliminar as toxinas do corpo, controlar a quantidade de sal e água do organismo e produzir hormônios que evitam a anemia e as doenças ósseas.

Em geral, nos estágios iniciais, a DRC é silenciosa, ou seja, não apresenta sintomas. Por causa disso, pode haver demora no diagnóstico e ele só acontecer quando o funcionamento dos rins já estiver comprometido, necessitando, para manutenção da vida do indivíduo, tratamento por meio da diálise ou transplante renal.

Assim, são fundamentais a prevenção e o diagnóstico precoce da doença, que tem tratamento e que pode ser observada com a realização de exames de baixo custo, como o exame de urina e a dosagem de creatinina no sangue.