Central COVID chega a 130 mil atendimentos em Botucatu

De abril de 2020 a fevereiro deste ano, foram realizadas 47.170 coletas de exames e mais de 60 mil ligações para acompanhamento dos casos positivos.

Recentemente, completamos um ano desde que o primeiro caso de Covid-19 foi registrado no Brasil. A partir de então, profissionais da saúde não têm medido esforços para salvar vidas diariamente e evitar ao máximo a circulação do vírus. Esse é exatamente o trabalho da Central Coronavírus de Botucatu, que realiza o atendimento diário dos casos suspeitos emonitoramento dos confirmados, por meio de atendimento telefônico e visitas domiciliares para avaliação e seguimento dos casos confirmados, bem como testagem dos contatos domiciliares, se prontificando a ajudar qualquer pessoa com sintomas.

De abril de 2020 a fevereiro deste ano, foram realizadas 47.170 coletas de exames, sendo 39.566 com resultados negativos e 6.459 positivos para COVID. No total acumulado do período, foram recebidas pela Central de Monitoramento 21.445 ligações. Cabe ainda ressaltar que serviço realiza o acompanhamento de todos os casos positivos, diariamente, durante o cumprimento da quarentena, tendo sido realizadas até o momento mais de 60 mil ligações.

Estrutura diferenciada – A Central COVID está composta por 226 funcionários divididos em cinco diferentes serviços: Central de Teleatendimento, Equipes de Atendimento Individual (Hospital do Bairro e Unidade COVID na Vila São Lúcio), Pontos de coleta RT-PCR (SWAB)  (Hospital do Bairro e Unidade COVID na Vila São Lúcio), Enfermaria COVID (Hospital do Bairro) e Equipe de Monitoramento Escolar.

A Central de Monitoramento é responsável pela avaliação dos resultados de RT-PCR (SWAB) colhidos pelos diversos serviços da Central COVID, bem como por todas as Unidades Básicas de Saúde, comunicando aos pacientes seus resultados. Este setor também é responsável pelo acompanhamento diário de casos positivos, via atendimento telefônico, bem como regula os trabalhos das 24 Equipes de Visita Domiciliares.

O Atendimento Domiciliar – é realizado por equipes compostas por enfermeiros, médicos, motoristas e técnicos de enfermagem. Realizam o primeiro atendimento dos casos positivos e a coleta de exames para demais moradores do domicílio, bem como retornam ao domicílio caso haja piora do quadro clínico das pessoas em acompanhamento. “Este serviço funciona de segunda a segunda, e também é oferecido para coleta de RT-PCR (SWAB) de pacientes idosos extremos ou pessoas com mobilidade reduzida/ acamada”, explica a enfermeira Elisângela Campos.

Contamos também com as Equipes de Atendimento Individual COVID-19, as quais estão preparadas para o atendimento de pessoas com sintomas suspeitos de COVID-19 aos sábados, domingos e feriados, das 07:00h às 19:00h, no Hospital do Bairro e na Unidade COVID São Lúcio. Nestes locais, operam ainda os Pontos de Coleta Fixo de RT-PCR, realizando de segunda a segunda a coleta do exame segundo agendamento prévio.

Um dos primeiros serviços da Central COVID foi a Central de Tele Atendimento, conduzida por médicos, enfermeiros e técnicos de enfermagem, os quais são responsáveis por acolher munícipes, via atendimento telefônico, resolvendo dúvidas sobre sintomas, o melhor local para atendimento presencial segundo horário, localidade do paciente, e especialmente, de acordo com a gravidade de seus sintomas. Este serviço também representa um importante ponto de apoio para os pacientes que cumprem a quarentena da doença, os quais podem discutir preocupações e solicitar suporte domiciliar em caso de agravamento do quadro de COVID. Os profissionais do Teleatendimento realizam também o agendamento do RT-PCR na Unidades Básica mais próxima do paciente ou nos pontos fixos de coleta, garantindo a documentação do isolamento domiciliar do usuário a partir da data do contato telefônico. Caso necessário você poderá entrar em contato com esta equipe de segunda a segunda, das 7h às 19h, inclusive aos feriados.

“Este serviço tem sido um importante canal de comunicação com a população, acolhendo pessoas sintomáticas e positivas, orientando cuidados e direcionando o atendimento, quando necessário, para o serviço mais adequado à resolução de sua queixa, evitando assim a circulação desnecessária destes pacientes, o que contribui para a prática efetiva do isolamento e melhor qualidade da atenção. Até o momento já foram registradas mais de 45 mil ligações”, destaca a enfermeira Elisângela.

Com o retorno das aulas da educação infantil, a Central COVID passou a contar com a Equipe de Monitoramento Escolar, oferecendo apoio e supervisão na implementação dos protocolos de segurança sanitária, bem como na garantia do atendimento, isolamento e testagem de casos suspeitos dentro do ambiente escolar.

E por fim, existe a Enfermaria COVID-19 – Unidade Hospital do Bairro, inaugurada em meados de fevereiro, conta com 10 leitos específicos para atendimento de casos positivos que necessitam de cuidados hospitalares de média complexidade, os quais recebem cuidados de médicos, enfermeiros, fisioterapeutas, técnicos de enfermagem e auxiliares de limpeza.

Coleta de exames para pesquisa: a Central COVID-19 também participa de pesquisas científicas da Unesp, a exemplo da pesquisa de anticorpos e testagem de tratamentos específicos para a doença.

Números do combate à COVID – A Central COVID, com seus diversos serviços, já realizou mais de 18 mil atendimentos, dentre estes, mais de 2.000 atendimentos domiciliares.

Conforme relata a Enfª Elisângela Campos, a Central COVID de Botucatu trabalha em parceria com a Rede de Atenção à Saúde Botucatu, relacionando-se diariamente com as Unidades Básicas de Saúde, SAMU 192, Central de Ambulância, e Pronto Socorros. Há uma parceria também junto à Guarda Civil Municipal para garantir o cumprimento do isolamento domiciliar dos casos positivos para COVID.

Por fim, Elisângela pede encarecidamente que as pessoas pratiquem o isolamento social, higienizem as mãos com frequência e utilizem máscaras de proteção, especialmente agora, quando a situação da pandemia está muito grave no município e região. “A atitude de todos nós juntos, vai ajudar conter a epidemia e desafogar os serviços de saúde, reduzindo assim, as mortes e sequelas por COVID-19”.

Além da Central COVID, todas as unidades básicas de saúde atendem pacientes sintomáticos e realizam testagem da COVID-19 por meio e exame RT-PCR.