Centro de Vigilância Epidemiológica divide campanha de vacinação contra a gripe em etapas

A vacinação contra a gripe em 2018, por meio da rede pública de saúde de São Manuel, terá início na próxima segunda-feira, 23. A campanha, que é nacional, seguirá até 1º de junho.

Segundo o Centro de Vigilância Epidemiológica, que pertence a Coordenadoria de Controle de Doenças da Secretaria de Estado da Saúde, “considerando-se a entrega parcelada da vacina Influenza”, a campanha será dividida nas seguintes etapas:

– A partir de 23 de abril: profissionais de saúde, indígenas e pessoas com 60 anos de idade ou mais;

– A partir de 02 de maio: crianças entre 6 meses e menores de 5 anos de idade, gestantes e puérperas;

– Dia 12 de maio (Dia D): todos os grupos.

Com relação ao Dia D, em São Manuel, todas as unidades de saúde estarão abertas nesta data, além dos postos de vacinação que serão montados no Supermercado Central e no Jaú Serve, das 08h às 17h, para vacinação dos adultos que fazem parte do público alvo, como ocorre todos os anos no município.

Para tomar a vacina, a pessoa deverá comparecer às unidades de saúde munidos da carteira de vacinação. No Dia D (12/05), inclusive, o Centro de Saúde “Padre Antonio Putton” – Cohab I, e o Centro de Saúde II “Deputado Geraldo Pereira de Barros”, na Vila Industrial, estarão com equipes disponíveis para vacinar os acamados conforme agendamento.

Com isso, a Vigilância Epidemiológica solicita aos familiares que fazem parte das áreas de abrangência destas unidades que realizem o agendamento o mais breve possível. No CS I (Cohab I) o agendamento pode ser feito direto na recepção ou pelo telefone 3841-4702; no CS II, pode ser feito na Sala de Vacina ou pelo telefone 3841-4701.

Poderão se vacinar, de forma gratuita, aqueles que fazem parte dos grupos prioritários. São eles:

– crianças de 6 meses a 5 anos incompletos*;

– grávidas em qualquer idade gestacional;

– puérperas (até 45 dias pós-parto);

– pessoas com 60 anos ou mais;

– pessoas com doenças crônicas e outras categorias de risco clínico;

– povos indígenas;

– população privada de liberdade, funcionários do sistema prisional, e adolescentes e jovens de 12 a 21 anos que cumprem medidas socioeducativas;

– professores das redes pública e privada;

– trabalhadores da área da saúde.

*vale ressaltar que as crianças vacinadas pela primeira vez contra a influenza precisam retornar em 30 dias para tomar uma dose de reforço.

Distribuição e vacinação

O cronograma da campanha de vacinação contra a influenza é definido pelo Ministério da Saúde, que distribui as vacinas. As datas, de acordo com o órgão, são adaptadas conforme a produção e entrega da vacina.

A produção da vacina leva cerca de seis meses e os laboratórios só começam a produzi-la a partir de setembro do ano anterior, quando a Organização Mundial da Saúde (OMS) autoriza a produção. Tal medida se faz necessária porque, todos os anos, é preciso avaliar quais cepas mais circularam no Hemisfério Sul no ano anterior para adaptar a vacina.

Dicas para se prevenir da gripe

Para evitar a transmissão da gripe e de outras doenças respiratórias, a Vigilância Epidemiológica recomenda:

– Lavar as mãos com freqüência, principalmente, antes de comer;

– Usar lenço descartável para higiene nasal;

– Cobrir nariz e boca quando espirrar ou tossir;

– Evitar tocar mucosas de olhos, nariz e boca;

– Higienizar as mãos após tossir ou espirrar;

– Não compartilhar objetos de uso pessoal, como talheres, pratos, copos ou garrafas;

– Manter os ambientes bem ventilados;

– Evitar contato próximo a pessoas que apresentem sinais ou sintomas de gripe;

– Evitar aglomerações e ambientes fechados (procurar manter os ambientes ventilados);

– Adotar hábitos saudáveis, como alimentação balanceada e ingestão de líquidos.

A doença

A influenza (gripe) é uma infecção viral aguda, que afeta o sistema respiratório. É de elevada transmissibilidade e distribuição global, com tendência a se disseminar facilmente em epidemias sazonais e mundiais. A transmissão ocorre por meio de secreções das vias respiratórias da pessoa contaminada ao falar, tossir, espirrar ou pelas mãos, que após contato com superfícies recém-contaminadas, por secreções respiratórias, pode levar o agente infeccioso direto a boca, olhos e nariz.

Essa estratégia de vacinação tem como objetivo minimizar a ocorrência da doença, as internações e óbitos atribuíveis ao vírus influenza nos grupos mais vulneráveis, ou seja, que têm maior risco de evoluir com complicações.

NOTA: A VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA MUNICIPAL COMUNICA QUE ATÉ O MOMENTO NÃO RECEBEU NENHUM LOTE DE VACINA DO GRUPO DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA PARA O INÍCIO DA CAMPANHA E QUE APENAS FOI INFORMADA DE QUE HÁ PREVISÃO DE INFORMAÇÕES REFERENTE A ENTREGA PARA A PRÓXIMA SEGUNDA-FEIRA, 23. COM ISSO, A VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA COMUNICARÁ A POPULAÇÃO QUANDO AS VACINAS ESTIVEREM DISPONÍVEIS NAS UNIDADES DE SAÚDE.