Alunos da FCA da Unesp/Botucatu são selecionados no programa Astro Roche

Um projeto de inovação em saúde proposto por alunos dos cursos de graduação em Engenharia de Bioprocessos e Biotecnologia da Faculdade de Ciências Agronômicas (FCA) e de Ciências Biológicas do Instituto de Biociências (IB), unidades da Unesp sediadas no câmpus de Botucatu, foi um dos 12 projetos selecionados no Programa Astro (Applied Science Trail Roche) promovido pelo grupo industrial farmacêutico Roche.

O Programa tem por objetivo aproximar-se dos grandes centros acadêmicos de pesquisa, com o intuito de colaborar na aceleração de inovação e tecnologias no desenvolvimento de produtos que agreguem no tratamento de doenças, fortalecendo o ecossistema de inovação e parcerias universidade-empresa.

A problemática proposta pelos discentes Aruã Prudenciatti, Guilherme Ferreira Luz, Larissa Silva Zambrana Moraes, Lucas Gabriel Ribeiro, Robinson Ishijima Leal, Lucas Cardoso Lazari e, os docentes Rejane Maria Tommasini Grotto e Guilherme Targino Valente do Departamento de Bioprocessos e Biotecnologia da FCA,  Renate Krause Sakate, do Departamento de Proteção Vegetal também da FCA e, Ivan de Godoy Maia do Departamento de Genética do Instituto de Biociências propõe o uso de uma nova plataforma para o tratamento de uma doença com alto impacto social: a hipercolesterolemia.

“Vivenciar a rotina de inovação em uma multinacional é uma experiência única por poder estar em contato com cientistas que compreendem tanto do desenvolvimento técnico dos produtos com etapas laboratoriais e industriais como também das visões de mercado necessárias para inserção de novas tecnologias na sociedade; além deste contato também há acesso à treinamentos que certamente serão decisivos para o futuro profissional dos participantes”, comentou o estudante Guilherme Luz.

“A realização desta proposta só foi possível graças a união de profissionais de diferentes expertises que se complementam e podem propor desenvolvimento e inovação para desafios na área da saúde”, ressalta a professora Rejane Grotto. “Além da experiência que a oportunidade está trazendo para os alunos esta iniciativa pode ser motivadora dentro da Universidade para que novas equipes se organizem com objetivo de aproximar a universidade do setor produtivo”