Agosto Dourado: Campanha sobre amamentação é desenvolvida em Botucatu

O mês de agosto é conhecido como Agosto Dourado, por simbolizar a luta pelo incentivo à amamentação – a cor dourada está relacionada ao padrão ouro de qualidade do leite materno.

Neste ano, a Semana Mundial do Aleitamento Materno 2020 terá como tema o impacto da alimentação infantil no meio ambiente, nas mudanças climáticas e na necessidade urgente de proteger, promover e apoiar o aleitamento materno para a saúde do planeta e de seu povo. A iniciativa faz parte do chamado “Agosto Dourado”, mês dedicado à intensificação das ações de promoção, proteção e apoio ao aleitamento materno.

Pensando nisso, a Secretaria Municipal de Saúde realiza a campanha de conscientização sobre a importância da amamentação.

A amamentação é um dos melhores investimentos para salvar vidas infantis e melhorar a saúde, o desenvolvimento social e econômico dos indivíduos e nações. Por meio do leite materno, o bebê recebe os anticorpos da mãe que o protegem contra doenças como diarreia e infecções, bem como as respiratórias.

“O risco de asma, diabetes e obesidade é menor em crianças amamentadas, mesmo depois que elas param de mamar. A amamentação é, ainda, um excelente exercício para o desenvolvimento da face da criança, importante para que ela tenha dentes fortes, desenvolva a fala e tenha uma boa respiração. Sem romantizar, o aleitamento é um processo, às vezes doloroso e solitário, e algumas mães precisam de apoio. Por outro lado, deve ser a única fonte de alimentação dos bebês até os seis meses de vida”, afirma o Secretário de Saúde, André Spadaro.

A Prefeitura de Botucatu, por meio da Secretaria Municipal de Saúde, incentiva o Aleitamento Materno e disponibiliza as Unidades e Serviços de Saúde, assim como a Clínica do Bebê, para a promoção e apoio ao Aleitamento Materno, com orientações desde o pré-natal, no período pós-parto e nos primeiros anos de vida do bebê.

No Brasil, somente cerca de 9% das crianças beneficiam-se do aleitamento materno exclusivo, e a média, geralmente, é de apenas 54 dias de amamentação por criança. Estes números são as evidências das quais precisamos para entender a urgência da necessidade de participação e colaboração de todos em prol do aleitamento materno.

 

Facilitadores do aleitamento materno:

 

– Estar informada sobre as vantagens da amamentação e como ela deve ser feita;

– Iniciar a amamentação na primeira hora de vida do bebê;

– Mesmo em casos em que as mães estejam separadas de seus filhos, mostrar como manter a lactação e a amamentação;

– Dar somente leite materno como alimento exclusivo ao recém-nascido até o 6º mês de vida e após este período oferecer até 2 anos ou mais complementado com outros alimentos saudáveis;

– Realizar amamentação em livre demanda (sem horários definidos);

– Não dar bicos artificiais ou chupetas para os bebês;

– Buscar informações de apoio à amamentação.