Veja como fica composta a microrregião de Botucatu após audiência

Quadra e Guareí passam a integrar a região. Laranjal vai para outra administração

Foto M&M Imagens com Acontece Botucatu

Na última sexta-feira, dia 18, a chamada microrregião de Botucatu foi discutida em uma audiência realizada no Teatro Municipal de Botucatu. O evento contou com a presença de todos os prefeitos da região, além do Vice-Governador Rodrigo Garcia.

O encontro fez parte do projeto de Desenvolvimento Regional do Estado de São Paulo para debater a criação da microrregião de Botucatu. O projeto visa constituir uma nova divisão regional administrativa comum a todos os setores da instituição do Estado e reorganizar os municípios que já estão conectados em regiões, sem separação e com interação.

Segundo o governo paulista, isso facilita o planejamento, a gestão e a execução das funções públicas de interesse regional, além de criar instrumentos para uma governança interfederativa.

Quais serão as mudanças?

Quadra (foto) e Guaraí entra na microrregião (foto: Guia do Turismo Brasil)

Pelo modelo atualmente vigente, a região de governo de Botucatu é composta por mais 12 municípios: Anhembi, Areiópolis, Bofete, Conchas, Itatinga, Laranjal Paulista, Pardinho, Pereiras, Porangaba, Pratânia, São Manuel e Torre de Pedra.

Pela nova divisão estadual, que foi discutida na sexta-feira, duas cidades devem ser incluídas nesta lista, Quadra e Guareí. E uma ficaria de fora da nova composição: Laranjal Paulista, que deve integrar outra unidade regional.

Desta fora a microrregião será composta pelos municípios de Anhembi, Areiópolis, Bofete, Botucatu, Conchas, Guareí, Itatinga, Pardinho, Pereiras, Porangaba, Pratânia, Quadra, São Manuel e Torre de Pedra.

O prefeito de Botucatu, Mario Pardini, avaliou como positiva a modificação. “Espero que dê certo. A criação dessa microrregião é positiva, especialmente por visar desafogar o atendimento de Saúde tanto na nossa região quanto na região de Bauru e arredores”, afirma o prefeito, por meio de sua assessoria de comunicação.

Encerrada a fase de audiências em todas as regiões, um Projeto de Lei será enviado à Assembleia Legislativa do Estado (Alesp) para criação das novas unidades regionais. A expectativa é de aprovação e criação até julho.