USP aprova criação da Faculdade de Medicina em Bauru

 

O sonho de 60 anos da criação de uma faculdade de medicina pública em Bauru acaba de se tornar realidade. O Conselho Universitário da USP, instância máxima de deliberação da Universidade de São Paulo, aprovou, por 67 votos a favor, 18 contra e 12 abstenções, no fim da tarde desta terça-feira (4), a instalação do curso de medicina no câmpus de Bauru, que começará a funcionar no início de 2018. O curso já estará no vestibular da Fuvest deste ano, cujas inscrições começam em 21 de agosto, com provas em novembro e janeiro. Haverá, inicialmente, 60 vagas.

Para a cidade chegar a esta conquista, foram 60 longos anos de tentativas, que agora devem ter um desfecho favorável, a partir do envolvimento de muita gente e de várias instituições, inclusive o Jornal da Cidade, que sempre apoiou a ideia ao longo dos anos e nos últimos meses sediou reuniões com lideranças da USP, políticas e da sociedade envolvidas com o atual projeto, além de reunir argumentos para que a conquista se consumasse, finalmente.

Através de gestões do deputado Pedro Tobias (PSDB) junto ao governador Geraldo Alckmin e o secretário estadual da Saúde, David Uip, o Estado se tornou parceiro nesta conquista ao concordar em encampar o prédio de 11 andares do Centrinho, ainda sem uso total, que será transformado em um hospital de média e alta complexidade, servindo de base prática para a formação dos alunos da faculdade de medicina.

O prefeito Clodoaldo Gazzetta também é parceiro da conquista, ao decidir que a prefeitura dará contrapartida para a reorganização do setor hospitalar que permitirá o funcionamento do Hospital do Centrinho, que, na prática, se transformará no sexto hospital público de Bauru.

Uma comitiva do câmpus da USP em Bauru, liderada pela diretora da Faculdade de Odontologia (FOB) e do Centrinho, Maria Aparecida Moreira Machado, e pelo prefeito da unidade, José Roberto Pereira Lauris, expôs o projeto do urso de medicina na reunião do Conselho Universitário, que ainda está em andamento. O reitor da USP, Marco Antonio Zago, liderou a iniciativa em relação à USP como um todo.

Fonte: Jcnet