Unesp de Bauru dará apoio pós-traumático às vítimas de Suzano

Três professoras do Departamento de Psicologia da Unesp de Bauru estão elaborando um plano de atendimento pós-traumático às vítimas do massacre de Suzano. O trabalho delas será desenvolvido em conjunto com docentes de pedagogia do câmpus de São José do Rio Preto. A ação multidisciplinar visa o acolhimento e a assistência a alunos, docentes e familiares da Escola Estadual Professor Raul Brasil.

As três universidades estaduais paulistas, vinculadas à Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico de São Paulo (SDE), assumiram esse compromisso, sendo que a USP e a Unicamp iniciaram suas contribuições justamente no momento subsequente ao evento, explica a professora Sandra Leal Calais, do câmpus unespiano local. Já a Unesp focará no estresse pós-traumático e deverá seguir para Suzano aproximadamente um mês após o ataque.

“Nós optamos por outro tipo de intervenção, justamente quando os holofotes saírem de lá. Agora, eles estão em fase de estresse agudo. Nós vamos trabalhar o estresse pós-traumático”, reitera. De acordo com Calais, aproximadamente 30 dias após o evento, algumas pessoas conseguem retomar a vida. Outras, porém, ficam piores e começam a desenvolver o transtorno do estresse pós-traumático. Muitas precisam de auxílio para vivenciar o luto.

Quem trabalha especificamente com o assunto (luto) é a professora Alessandra Lopes, do câmpus local. Também integra o grupo a professora Christiane Carrijo Eckhardt, que presta atendimento infantil. Já Calais atua com estresse pós-traumático. De São José do Rio Preto, vão colaborar os professores Raul Aragão Martins e Ana Klein, do Departamento de Pedagogia.

A USP enviou oito professores, mestrandos e doutorandos do Instituto de Psicologia para prestar atendimento emergencial, acompanhar o velório e auxiliar no retorno às aulas. A Unicamp dará apoio na recuperação do suporte pedagógico e psicológico dos estudantes e professores, acrescenta nova enviada pela Unesp.

Conforme o JC noticiou, na última quarta-feira, dois ex-alunos abriram fogo e desferiram golpes de machadinha contra estudantes e funcionários da Escola Estadual Professor Raul Brasil. A tragédia deixou 10 mortos, incluindo os atiradores.

Fonte: Jcnet