Professora é surpreendida e ganha moto nova depois de ser furtada: ‘Me senti muito querida’

Funcionários, pais de alunos, amigos e familiares da Flávia Garcia Fernandes se uniram e arrecadaram mais de R$ 4 mil para presentear a educadora

“Me senti muito querida”, admitiu a professora Flávia Garcia Fernandes depois de ver a surpresa que foi preparada para ela na última segunda-feira (28), em Jaú (SP).

Amigos, familiares, funcionários e pais de alunos se uniram para arrecadar dinheiro e comprar uma moto nova para a professora, que teve o veículo furtado há duas semanas em frente da unidade.

Flávia contou que estacionou a moto em frente à escola que trabalha todos os dias e, no dia 16 de outubro, saiu para almoçar e percebeu que o veículo não estava mais onde ela havia deixado.

“Minha moto foi furtada um dia depois do Dia dos Professores, na porta do trabalho. Estacionei 7h30 e vimos pela câmera que 7h31, ele [ladrão] já tinha levado embora. Acho que o ladrão sabia os meus horários”, explica a professora.

A moto tinha sido um presente do pai dela, que morreu recentemente. Por isso, mais do que a praticidade de se locomover pela cidade, a moto tinha para Flávia um valor sentimental.

A história comoveu os funcionários da escola onde ela trabalha, além de pais de alunos que gostam muito do trabalho da professora.

Jociane Souza da Silva é mãe da Júlia, de 6 anos, que estudou com a tia Flávia quando tinha apenas 2. Ela conta que Flávia foi “mais que uma professora” para a menina.

“Quem desfraldou a Júlia foi a Flávia. É um carinho e tanto. Quando eu tive a Júlia, eu tinha 22 anos e eu não tinha noção. A escola foi como se fosse uma mãe. Quem me orientava era a Flávia, sempre tive essa confiança”, lembra a mãe.

A secretária do colégio em que Flávia trabalha atualmente, Maisa Martins Peres, concorda que o trabalho da professora é especial. Segundo ela, a educadora atua na escola há oito anos e é muito querida por todos.

“Ela é muito dedicada e carinhosa, que é o que os alunos da idade que ela trabalha mais precisam. Ela trabalha com crianças de 2 anos, então os pais têm um carinho enorme por ela, porque ela ajuda na melhor fase”, explica a secretária.

Campanha

Pensando nisso, Jociane e Maisa decidiram começar um grupo no Whatsapp com as mães, amigos e funcionários que estivessem interessados em doar uma quantia para comprar a moto para a professora. A meta era arrecadar R$ 3 mil em um mês.

Para ajudar na arrecadação, muitas pessoas começaram a oferecer serviços para serem sorteados no dia da entrega da moto, como hidratação, escova, limpeza de pele e até tatuagem.

As pessoas que doassem R$ 20 poderiam concorrer a prêmios. Em apenas três dias, o grupo arrecadou pouco mais de R$ 4 mil.

No dia da surpresa, alunos, ex-alunos, pais, funcionários, amigos e familiares se reuniram na quadra do colégio e disseram para a professora que ela iria participar de uma aula de relaxamento.

“Cheguei e estava muito silêncio. Falaram que ia ser aula de relaxamento. E aí tinha umas 200 pessoas, entre elas pais, crianças, amigos. Fiquei paralisada, não consegui nem me mexer”, se emociona a professora.

Foi então que o irmão e marido dela entraram na quadra dirigindo a moto nova. Além do maior presente do dia, os amigos também a presentearam com o capacete e um moletom que também tinham sido furtados com o veículo.

“Professora, você é insubstituível, mas a moto não”, estava escrito na faixa que decorou a quadra de esportes no dia da surpresa.

Agora, Flávia conta que não sente raiva da pessoa que furtou a sua moto. O sentimento que restou desta história foi de gratidão.

“Algumas coisas vem para agregar. Até agradeço quem levou minha moto porque me proporcionou esse momento. A humanidade tem essência boa e a gente colhe os frutos por fazer o bem”, completa a educadora.

Fonte: G1