Padroeira do Brasil tem segundo santuário consagrado do país em São Manuel

Aparecidinha de São Manuel é a 2ª capela dedicada a Nossa Senhora mais antiga do país

Depois do Santuário de Aparecida, a segunda capela mais antiga do país em devoção a Nossa Senhora da Aparecida está no Distrito de Aparecidinha, município de São Manuel na região de Botucatu. Nesta terça-feira, 12 de outubro, será realizada a comemoração da Padroeira do Brasil.

Apesar da localidade ser pequena, o Santuário realiza duas grandes festas em louvor a Nossa Senhora, uma em agosto (que marca a assunção da santa) e outra no dia 12 outubro. O pequeno distrito cujo nome é no diminutivo tem 163 anos de existência e depois de Aparecida, no Vale do Paraíba, é o segundo santuário em homenagem a Nossa Senhora do Brasil.

A devoção a Nossa Senhora Aparecida

A devoção a Nossa Senhora Aparecida na região de Botucatu é tão antiga quanto o próprio Distrito de Aparecida de São Manuel, que completou seus 163 anos. A pesquisa foi feita pelo religioso  Marco Raphael com base no livro tombo da paróquia, livros de registros de São Manuel e documentos da Diocese de Botucatu.

Segundo dados históricos, por volta do ano de 1840, começaram as movimentações para a doação de terras ao Patrimônio de Nossa Senhora Aparecida.

Nascia assim, no ano de 1858 o vilarejo de Água da Rosa, pertencente ao município de Botucatu. Neste mesmo ano foi inaugurada a capela em honra de Nossa Senhora Aparecida, fruto da devoção dos fazendeiros e também dos tropeiros que passavam pelas estradas que cortavam o lugarejo.

A imagem da Virgem Maria que está no altar da paróquia de Aparecidinha foi uma colaboração dos moradores e fazendeiros encomendada de uma fábrica de imagem de gesso de Portugal. Como o pedido não chegou completo e com as características originais da imagem de 1716, veio a estátua de Nossa Senhora com o rosto na cor da pele branca, sendo assim a única nesse tom do Brasil. A original em Aparecida tem o rosto preto.

Segundo Raphael, o vilarejo de Água da Rosa, foi rebatizado pelo povo como Aparecida da Água da Rosa, tamanha era a importância da devoção, denominação que o distrito carregou por mais de um século, até ser denominado de Aparecida de São Manuel.

O religioso resgatou também que, no ano de 1908, teve início a construção da nova Igreja Matriz, atual santuário, que foi inaugurada solenemente em fevereiro de 1911.

Na torre do Santuário se encontram três sinos. O primeiro foi fruto das economias de um grupo de senhoras que em 1866 angariaram a quantia necessária para adquirir o primeiro sino. Outros dois sinos também se encontram na torre do Santuário, um doado pelos Missionários da Consolata e o outro sino, de uma promessa de Pedro Antonio de Barros, doado no ano de 1877, onde se lê seu testemunho de fé em Nossa Senhora Aparecida.

O milagre

Começou em 1717, a história da Nossa Senhora de Conceição Aparecida, quando três pescadores lançaram suas redes no Rio Paraíba do Sul. À época não estava boa para pesca, até que na rede apareceu, separadamente, a cabeça e o corpo da estátua de Imaculada da Conceição, mãe de Jesus.

A partir daí, peixes surgiram em abundância. Este é tido como o primeiro milagre da padroeira. Em seguida, o povo nomeou a imagem como Aparecida.

Em 1745, a primeira capela dedicada à Nossa Senhora da Aparecida foi aberta para visitação. Anos depois, em 1834, construíram uma igreja maior. Já em 1930, a Santa foi proclamada pelo papa Pio XI como Rainha do Brasil e Padroeira Oficial do País.

A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) em sua Assembleia de 1953 determinou que a festa da Padroeira do Brasil fosse celebrada no dia 12 de outubro. Uma das razões para a escolha dessa data foi a aproximação da época do encontro da imagem, que ocorreu na segunda quinzena de outubro de 1717.

Por ocasião da visita do Papa II ao Brasil, o então Presidente da República, general João Batista Figueiredo, promulgou a Lei n. 6.802, de 30 de junho de 1980, “declarando feriado federal o dia 12 de outubro para o culto público e oficial a Nossa Senhora Aparecida”.

Com informações do JCNet