Morador de Bauru confessa que ameaçou ex com ‘nudes’ por 3 anos

Na manhã desta quinta-feira (6), um morador de Bauru, de 26 anos, confessou que, durante cerca de três anos, exigiu vídeos e fotos nuas da ex-namorada, uma jovem de 18 anos, que vive em Guapó, na região metropolitana de Goiânia (GO). De acordo com a Polícia Civil de Goiás, caso ela não enviasse fotos novas, ele a ameaçava, dizendo que divulgaria o conteúdo íntimo que já tinha para moradores da cidade dela. Porém, segundo a corporação, ele chegou até mesmo a fazer publicações em sites de pornografia.

Em Bauru, o mandado de busca e apreensão e medida cautelar diversa da prisão foram cumpridos pela Polícia Civil de Goiás, por meio da Delegacia de Guapó, que investigou o caso, com o apoio da Polícia Civil de Bauru, por meio do Grupo de Operações Especiais (GOE) da Divisão Especializada de Investigações Criminais (Deic).

Segundo as apurações da polícia goiana, a vítima e o investigado tiveram um namoro virtual e, após o término, ele passou a chantageá-la por mais ‘nudes’ por meio de perfis falsos nas redes sociais. Ele ainda a intimidava, dizendo que, caso ela não obedecesse, divulgaria o conteúdo na cidade onde a vítima reside, por vingança.

O delegado Arthur Fleury, responsável pelo inquérito, detalha que, quando a vítima bloqueava o perfil que o investigado a contatava pelas redes sociais, ele, para intimidá-la, enviava fotos e vídeos para amigas dela, por meio de outros perfis fakes. “Ele chegou a criar um site de notícias de Guapó para divulgação de vídeos, além de publicar em sites pornográficos”, afirma.

Ainda segundo a corporação, por conta das ameaças, a vítima chegou a tentar suicídio. Foi somente após três anos vivenciando essa situação que, com o apoio de uma familiar, conseguiu procurar a delegacia para denunciar o caso.

Com o avanço das investigações, que duraram dois meses, foi cumprido um mandado de busca e apreensão na casa do investigado, em Bauru. Ele foi levado para a delegacia e, “em sede de interrogatório, o suspeito confessou a prática criminosa e se diz arrependido”, informa a Polícia Civil. Ele foi ouvido e liberado, pois “não houve elementos para autuação em flagrante do delito, tampouco para representação por prisão cautelar do investigado”.

‘REVENGE PORN’

O homem é investigado por “revenge porn” (pornografia de vingança – ato de expor, na Internet, fotos ou vídeos íntimos de terceiros, sem o consentimento dos mesmos) e por divulgação e transmissão de imagens e vídeos de conteúdo pornográfico.

Também foi expedida uma medida cautelar diversa da prisão para que ele fique proibido de se comunicar com a jovem goiana. Além disso, foi apreendido o notebook e o aparelho celular dele, que serão periciados a fim de verificar se existem mais vítimas do crime.

Fonte: JCNet