Hospital Amaral Carvalho de Jaú anuncia abertura de unidade para atender Covid

Região
Hospital Amaral Carvalho de Jaú anuncia abertura de unidade para atender Covid 29 janeiro 2021

Centro de Combate à Covid-19 será instalado em um prédio às margens da SP-294 com 39 leitos. Objetivo do Hospital Amaral Carvalho é desafogar Santa Casa que, nesta semana, admitiu “colapso” no sistema de saúde.

O Hospital Amaral Carvalho anunciou nesta quinta-feira (28) a abertura de uma nova unidade de tratamento do coronavírus para atender moradores de Jaú (SP) e região.

O objetivo do Centro de Combate à Covid-19, que ainda não tem data para inauguração, é “desafogar os hospitais que fazem o primeiro atendimento aos pacientes” e vai ser preenchido unicamente pela Central de Regulação de Vagas.

Nesta semana, a Santa Casa de Jaú admitiu um “colapso” no sistema de saúde e pediu ajuda para transferir pacientes. Com todos os leitos de enfermaria e UTI ocupados, o hospital teve que improvisar um corredor no pronto-socorro para acomodar as pessoas internadas. (Confira abaixo a ocupação)

Segundo o Hospital Amaral Carvalho, a iniciativa de criar o centro foi tomada depois que a prefeitura de Jaú pediu que a unidade disponibilizasse mais dez leitos de enfermaria para atender pacientes com Covid.

O centro provisório será instalado com a ajuda de doações da população, de empresas, verbas governamentais e também com recursos próprios. Ele vai funcionar na Unidade Ana Maria Ferraz, antigo prédio de uma empresa de diesel às margens da Rodovia Comandante João Ribeiro de Barros (SP-294), que recentemente foi doado ao Amaral Carvalho.

Ainda de acordo com o hospital, o centro será adaptado dentro de um pavilhão com cerca de 2 mil metros quadrados e terá 39 leitos no total, sendo 35 leitos de enfermaria e mais quatro de tratamento semi-intensivo. Não haverá pronto-atendimento.

O HAC informou que as obras de engenharia para a implantação do centro começaram nesta quinta-feira (28) e a montagem do hospital de campanha está prevista para começara na próxima terça-feira (2), com previsão de término no dia 15 de fevereiro.

Depois dessa etapa, será feita a instalação de ar-condicionado e dutos de gases, que não tem previsão de duração. A expectativa é que a unidade comece a funcionar ainda em fevereiro.

Câncer e Covid

Segundo o HAC, que é o primeiro hospital oncológico do interior de São Paulo, a unidade se preparou para atender pacientes com Covid desde o início da pandemia e já tratou mais de 300 pessoas com a doença.

No entanto, segundo o gerente médico do HAC, o infectologista João Gabriel Soares, essa tarefa foi ainda mais difícil no hospital por causa dos pacientes em tratamento oncológico. As áreas para o tratamento da Covid tiveram que ser completamente isoladas dos outros setores e a UTI teve que ser redesenhada.

“É quase uma operação de guerra, tudo teve que ser muito bem planejado para não colocarmos em risco os nossos pacientes oncológicos, que, por si só, já sofrem com uma doença grave e que provoca a imunodepressão”, explica.

O hospital informou que foram criados 37 leitos somente para o atendimento da Covid-19, sendo 29 leitos de enfermaria e nove de UTI. Do quadro atual de funcionários, 121 deles foram destacados para atuar na pandemia.

Ocupação Santa Casa

Santa Casa de Jaú não tem leitos disponíveis para atender pacientes com Covid — Foto: Santa Casa de Jaú/Divulgação
 Nesta quinta-feira (28), a Santa Casa de Jaú estava com 73 pacientes internados na enfermaria de Covid, sendo que a unidade tem apenas 53 leitos. Já na UTI, são 48 pessoas internadas em 35 vagas.

De acordo com a gerente administrativa da Santa Casa de Jaú, Scila Carretero, isso significa que os pacientes com Covid estão tendo que ser transferidos para outros setores do hospital, o que compromete o atendimento a pessoas com outras doenças.

“Hoje estamos ocupando a sala de emergência, sala de sutura, consultório médico, todo o complexo do pronto-socorro está comprometido para pacientes da Covid e a nossa preocupação são as outras patologias de urgência, que nós não vamos conseguir atender devido a essa alta demanda”, explicou.

Nesta segunda-feira (25), o hospital emitiu uma carta pedindo apoio do Departamento Regional de Saúde (DRS) de Bauru e da Central Reguladora de Vagas (CROSS) para transferir os pacientes internados em Jaú para outras unidades, independentemente da doença.

No entanto, o hospital informou que o estado continuou enviando pacientes de outras cidades para Jaú, mesmo após o aviso da direção de que não há mais leitos disponíveis. A Secretaria Estadual de Saúde respondeu que as transferências são feitas quando há necessidade e que o recurso “vaga zero” é previsto em casos que envolvam risco de morte ou sofrimento intenso do paciente.

Para o infectologista Carlos Fortaleza, integrante do Centro de Contingência do Coronavírus de São Paulo, o colapso do sistema de saúde provocado pelos casos de Covid-19 vivido pela Santa Casa de Jaú deve servir de alerta para prefeitos que decidiram flexibilizar o Plano São Paulo, especialmente na fase vermelha.

“Vivemos uma situação gravíssima, de hospitais em colapso, e temos de evitar toda e qualquer oportunidade de transmissão do coronavírus. É por isso que precisamos do amargo remédio de fechar as atividades não-essenciais”, diz o especialista.

Fonte: G1

Compartilhe esta notícia
Oferecimento
BERIMBAU INST DESK
FREIRE MOTOS
Oferecimento

Veja também

Oferecimento
VISTORI
SHOPPING INSTITUCIONAL
INSTITUCIONAL ELO
EXAME TOXICOLOGICO