Após pedir ao estado medicamentos para intubação, Lençóis Paulista solicita transferência de pacientes da UTI Covid

 

Baixa nos estoques de medicamentos do chamado kit intubação afeta atendimento em Lençóis Paulista — Foto: Divulgação/SES

Após enviar um ofício solicitando, de forma emergencial, ao Departamento Regional de Saúde (DRS-6) de Bauru (SP) o envio de medicamentos analgésicos e relaxantes musculares necessários para intubação de pacientes com Covid-19, a prefeitura de Lençóis Paulista informou neste domingo (28) que vai pedir a transferência dos pacientes que estão na UTI no único hospital da cidade.

Segundo a nota da prefeitura, após o envio do ofício na última sexta-feira (26), no qual afirmava que o estoque de medicamentos do “kit intubação” durariam apenas mais 72 horas, foram enviadas 40 ampolas do medicamento Midazolan, o que seria suficiente para duas ou três horas apenas. Portanto, o prazo para o fim do estoque continua sendo a noite desta segunda-feira (29).

Diante dessa situação, a prefeitura informou que está “oficiando o DRS-6 para realizar a transferência, através da Central de Vagas (CROSS), dos pacientes das alas de UTI de Lençóis Paulista para hospitais estaduais referência”, diz a nota. Segundo a administração municipal, são cerca de 20 pacientes na UTI do Hospital Piedade.

No pedido emergencial para a reposição dos estoques dos medicamentos, o prefeito Anderson Prado de Lima (DEM) fez um apelo para as autoridades estaduais e federais alertando sobre a gravidade da situação vivida pelo município.

De acordo com ele, a administração municipal tentou comprar o chamado “kit intubação” no mercado farmacêutico, mas não conseguiu.

“É um pedido de socorro antecipado em nome das pessoas que estão e daquelas que também irão precisar do ‘kit intubação’. Que esse grito possa ser ouvido pelas autoridades federais e estaduais, porque Lençóis Paulista, diferente de muitos municípios, criou leitos de UTI e enfermaria, quando a obrigação é do Ministério da Saúde e da Secretaria de Saúde do Estado. Estamos compartilhando a responsabilidade com a União e com o Governo Estadual para salvar a vida dos brasileiros de Lençóis Paulista e região, mas precisamos de ajuda imediata”, disse.

Em nota, o estado disse que a cidade de Lençóis Paulista não registrou no sistema MEDCOVID-19 o seu estoque atualizado de medicamentos do chamado “Kit Intubação”, no entanto informou que fez o remanejamento de ampolas do medicamento Midazolam por meio do Departamento Regional de Saúde (DRS) de Bauru.

A nota ressalta ainda que a pasta vem cobrando o Governo Federal por medidas “expressas e urgentes” para abastecer a rede pública de saúde com medicamentos utilizados em intubação. Mas, segundo a secretaria estadual, o governo federal fez somente uma liberação de neurobloqueadores em quantidade suficiente para apenas dez dias de consumo.

Destacou ainda que é “fundamental que os gestores dos demais serviços de saúde que compõem as redes pública e privada de saúde mantenham o monitoramento da sua demanda, utilizem racionalmente estes produtos e otimizem medidas para garantir assistência a quem precisa.”

Sobre o registro do estoque no sistema MEDCOVID-19, a prefeitura informou que foi realizado pelo Hospital Piedade, porém, está apurando se houve inconsistência no sistema.

O G1 também questionou o Ministério da Saúde sobre o abastecimento de estoques com os medicamentos e insumos que compõe o “kit intubação” para o estado de SP, mas não obteve retorno até a publicação dessa reportagem.

Até este domingo (28), Lençóis Paulista somava 8.179 casos positivos de Covid-19 e 100 mortes.

Fonte: Portal G1