Após constatar variante do coronavírus, Jaú endurece regras

 

Divulgação Prefeitura de Jaú

Após a confirmação da nova variante do coronavírus em amostras coletadas de três pacientes de Jaú, a prefeitura reuniu-se com equipe técnica da área da saúde e, no fim da tarde desta segunda-feira (15), editou novo decreto que torna ainda mais rígida a fase vermelha na cidade.

Até o próximo dia 22, compras e vendas na modalidade drive thru estão proibidas para qualquer atividade. De segunda à sábado, a venda de bebida alcoólica pode ocorrer somente até as 16h. Já os supermercados “ganharam” uma hora a mais de funcionamento e, agora, poderão abrir nos mesmos dias até as 20h. O delivery está liberado.

O decreto estabelece que circulares deverão operar com apenas 30% de sua capacidade e que lojas de materiais para construção só poderão vender por delivery. A multa para quem não usar máscara de forma correta é de R$ 200,00. Empresários que não cumprirem as regras ficam sujeitos a multa de R$ 1 mil.

O aumento nas restrições ocorre dois dias após a Prefeitura de Jaú divulgar que a variante brasileira do coronavírus, chamada de P.1, presente no Amazonas, foi identificada pelo Instituto Adolfo Lutz em três amostras de material genético coletadas de pacientes locais após recente aumento de casos da doença.

Neste domingo, Prefeitura e Santa Casa de Jaú fizeram reunião emergencial para discutir o assunto. “É mais sério do que a população imagina”, disse o prefeito Ivan Cassaro (PSD). “Temos trabalhado 24 horas por dia em prol da população de Jaú e de toda a região”, afirmou Carlos Moreira, diretor técnico do hospital.

O médico Christiano De Luca Nassif, responsável pelo Pronto-Socorro (PS), reconheceu a dificuldade que o isolamento impõe, mas pediu o apoio da população neste momento. “Com a confirmação dessa variante, a luta não muda, as medidas não mudam”, ressaltou. “É preciso ter a conscientização e a ajuda de todos”.

Nesta segunda, o secretário de Saúde de Jaú, Rodrigo de Callis Brandão, reuniu-se com representantes da área da saúde de Bariri, Boraceia, Barra Bonita, Bocaina, Brotas, Dois Córregos, Itaju e Torrinha e falou sobre a necessidade da restrição da circulação nas cidades para evitar o aumento nos casos de Covid.

Em nota, a Secretaria de Estado da Saúde informou que, até o momento, “não há comprovações científicas de que esta variante seja mais transmissível ou provoque quadros mais graves, nem evidências referentes à capacidade de resposta imune das vacinas disponíveis”.

Fonte: Jcnet