Vereadora Rose Ielo faz novas denúncias ao Ministério Público e cita Pardini, André Peres e João Cury

 

Arquivo TV Câmara

A vereadora Rose Ielo (PDT) fez nesta semana um ofício, via Câmara Municipal, para que o Ministério Público investigue mais contratos envolvendo a Prefeitura e empresas do setor privado.

A vereadora aponta em sua denúncia o ex-Prefeito João Cury, o atual Prefeito Mário Pardini, seu vice, André Peres, e o atual Secretário de Infraestrura, William Silva. São apontadas as empresas Equipe Serviços Humanizados Eireli e Objetiva Administração em Recursos Eireli.

A Parlamentar traz em seu ofício, valores recebidos pelas empresas, citando o Portal da Transparência. No caso da empresa Objetiva de 2011 a 2020.

Os recursos repassados às empresas que prestaram serviços ao município somam aproximadamente R$ 30 milhões, cita a Vereadora.

A vereadora faz em sua denúncia um Power Point para apontar a relação dos citados e empresas em nomes de parentes ou amigos dos envolvidos.

Power Point feito pela vereadora em ofício ao MP

“Devido a função parlamentar, informo que inúmeros relatos de ‘denúncias’ de servidores públicos e funcionários das empresas mencionadas chegaram a essa vereadora, acerca de eventuais irregularidades que estariam ocorrendo há pelos menos 9 anos na Prefeitura Municipal de Botucatu”, diz a parlamentar em trecho do documento.

Uma das empresas citadas possui contrato com a Prefeitura desde o ano de 2011, mostra documento da denúncia que pode ser visto por completo em arquivo abaixo. O ofício foi direcionada ao Promotor Thiago Tavares Simoni Aily.

Em nota a Prefeitura disse que ainda não foi notificada.

“A Prefeitura não foi notificada oficialmente. Todos os esclarecimentos serão prestados assim que solicitados pelos órgãos competentes”.

Por envolver seus candidatos, a coligação encabeçada por Mário Pardini também se manifestou por meio de nota, veja:

“A Coligação “Botucatu Não Pode Parar” mais uma vez estranha e lamenta que surjam “denúncias” às vésperas das eleições, obviamente de caráter político e tendo como único objetivo gerar tumulto e confundir os eleitores. A coligação e seus candidatos se colocam à disposição da Justiça, sendo que prestarão todos os esclarecimentos necessários tão logo sejam comunicados oficialmente!”

O documento completo pode ser visto neste link

*Atualização às 13h15: a vereadora entrou em contato com o Acontece Botucatu para que fosse feita a correção dos anos de prestação de serviço das empresas. No próprio ofício assinado pela parlamentar havia um erro de digitação.