Justiça indefere registro da chapa do PCO à Prefeitura de Botucatu

Cartório Eleitoral diz que decisão é definitiva, mas que o candidato do partido aparecerá na urna eletrônica, que já foram programadas. Defesa do partido rejeita decisão e diz que recurso ainda tramita.

Os candidatos do PCO (Partido da Causa Operária) a prefeito e a vice em Botucatu tiveram os pedidos de registros de candidatura indeferidos pela Justiça Eleitoral e estão fora das eleições municipais deste ano.

Segundo o chefe do cartório eleitoral de Botucatu, Igor Ignácio, o processo foi transitado em julgado no dia 1º de novembro e não cabe mais recurso.

A defesa do PCO contesta e, em nota, diz que o “pedido de registro de candidatura dos candidatos só são, efetivamente, indeferidos quando do indeferimento do DRAP [Demonstrativo de Regularidade de Atos Partidários], que ainda tramita no Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo”.

Apesar da decisão, Ignácio informa que o nome do candidato do PCO, Pedro Luiz Pimentel Pereira, aparecerá nas urnas eletrônicas porque elas foram programadas antes da sentença judicial. O voto eventualmente dado a ele, será considerado nulo.

Ainda de acordo com informações do cartório, o candidato a prefeito do PCO cometeu várias irregularidades, dentre elas descumprimento do prazo para apresentação do pedido de candidatura.

Além disso, Pedro Luiz também está com o título de eleitor cancelado porque ele não fez a revisão biométrica antes das eleições de 2018.

Outro motivo para o indeferimento do registro de candidatura a prefeito, segundo o chefe do cartório, é que Pedro Luiz não apresentou à Justiça Eleitoral as contas referentes aos gastos com na campanha de 2018, como determina a lei.

Fonte: G1