João Cury não cogita mudança de partido após ‘flerte’ de siglas com Alckmin

 

Campos Machado em visita ao governador Geraldo Alckmin, acompanhado do Senador Armando Monteiro Filho

A direção estadual do PTB distribuiu na tarde de segunda-feira, dia 30, uma nota em que sinaliza como positiva um possível ingresso de Geraldo Alckmin na sigla trabalhista. O partido coloca que não há divergências internas entre todas suas principais lideranças nacionais para receber o governador em uma eventual saída do PSDB.

A  nota diz que o PTB pode vir a ser a melhor alternativa para o governador Geraldo Alckmin, na eventualidade de não conseguir viabilizar sua candidatura à presidência da República, pelo PSDB. Apesar de não ter havido nenhum convite oficial ao governador, o deputado Campos Machado, secretário-geral da Executiva Nacional e presidente estadual do PTB, vê essa possibilidade como “um caminho natural para Alckmin”, que historicamente teve sempre o PTB como um dos seus principais aliados.

Esse é apenas mais um caso de partido que flerta com Alckmin, de olho na corrida presidencial. Mesmo acreditando que Geraldo Alckmin não deva sair do PSDB, Campos Machado deixou claro que o “PTB quer ser a primeira alternativa, na eventual saída do governador”. Isso ficou nítido depois das visitas por ele articuladas, durante o mês de janeiro.

Inicialmente ele levou ao Palácio dos Bandeirantes o candidato do PTB  a presidente da Câmara dos Deputados,  Jovair Arantes, acompanhado do presidente nacional do partido, Roberto Jefferson. Depois foi a vez do senador pernambucano, Armando Monteiro Filho, que também deixou claro que Alckmin teria abrigo seguro no PTB.

João Cury não cogita saída e torce para permanência de Alckmin

Ainda presidente do diretório municipal do PSDB, o ex-prefeito João Cury acredita que essas notícias sejam mais vontades das siglas do que algo mas concreto. Ele considera o governador do estado uma das únicas alternativas viáveis no país.

Agora presidente do FDE (Fundo para o Desenvolvimento da Educação) e mais próximo de Alckmin, João Cury torce para a permanência do governador no ninho tucano.

“Eu torço para o governador ficar no PSDB e vejo esses movimentos dos partidos aliados do governo como um gesto de reconhecimento e valorização tanto da pessoa como do homem público. Em tempos de grande crise de representatividade e também política, o governador Geraldo Alckmin é cada vez mais uma referência de honradez e capacidade de gestão. Infelizmente no quadro político atual não são muitos os homens públicos que possuem essas qualidades. Como homem de partido, eu sinto muito se isso acontecer. A minha torcida é para que o governador fique no PSDB que é o partido que ele ajudou a construir e cuja trajetória se confunde, inclusive, com a trajetória do próprio governador”, disse o ex-Prefeito ao Acontece Botucatu.

Foto: Carta Capital

Indagado se uma eventual saída de Alckmin do PSDB, pudesse também mexer com seu futuro tucano, João Cury disse que não trabalha com essa hipótese. “Não pensei nisso, até porque não trabalho com essa hipótese. Acho isso, neste momento, mais um desejo desses partidos, do que algo realmente plausível e concreto”, afirmou João, que em 2014 foi um dos coordenadores de campanha no estado de Aécio Neves na corrida presidencial.

Alckmin x Aécio

Alckmin trava uma dura batalha interna com o Senador Aécio Neves, presidente nacional dos Tucanos, pela pré-candidatura à Presidência da República. Para muitos filiados importantes, é possível que haja um racha nacional dentro do partido.

PTB e PSB, do Vice-Governador Márcio França seriam as primeiras opções de uma eventual saída, porém, remota. Campos Machado aponta a convergência interna no PTB como um trunfo em relação ao PSB, que, mesmo dividido, já acenou ao governador.