Ex-prefeitos nas urnas: João Cury e Mário Ielo serão candidatos a Deputado Federal

Política
Ex-prefeitos nas urnas: João Cury e Mário Ielo serão candidatos a Deputado Federal 02 agosto 2022

Apesar de um longo histórico de embates, ambos dividiram as urnas apenas em 2012, durante a eleição municipal

Dois ex-prefeitos de Botucatu serão candidatos a Deputado Federal nas eleições de outubro deste ano. João Cury e Mário Ielo. Ambos governaram a cidade por 16 anos e foram os últimos prefeitos antes de Mário Pardini.

João Cury, hoje no MDB, anunciou ainda em abril sua pré-candidatura a Deputado Federal. Na oportunidade ele foi exonerado do cargo que ocupava na Prefeitura de São Paulo.

Mário Ielo se pronunciou apenas esta semana que concorrerá ao cargo pelo PDT. Em entrevista à Rádio Clube FM ele disse que terá seu nome homologado pelo partido de Ciro Gomes nos próximos dias, em companhia do ex-vereador Carlos Trigo, que será candidato a Deputado estadual pela mesma sigla.

O histórico de embate entre ambos é logo, mas apenas uma vez dividiram as urnas. Em 2012, João Cury foi reeleito Prefeito de Botucatu com 60% dos votos e Mário Ielo teve 40% em um embate quase direto entre ambos. Confira abaixo o perfil dos candidatos.

João Cury

João Cury anunciou sua saída da Secretaria de Relações Institucionais da Prefeitura de São Paulo em 31 de março, prazo limite para desincompatibilização de cargo previsto no calendário eleitoral.

Sua ligação com o MDB é antiga. Seu pai, Jamil Cury, foi eleito Prefeito de Botucatu pela primeira vez justamente na sigla, em 1982. Cury, aliás, divulgou nos últimos dias um vídeo de seu pai relembrando parte dessa história.

João Cury Neto foi Prefeito de Botucatu duas vezes (2009 a 2012/2013 a 2016) e com sucesso, fez o dever de casa ao escolher e eleger seu sucessor, Mário Pardini. O atual Prefeito de Botucatu foi uma escolha de Cury e por isso, apesar de algumas rusgas nos últimos anos, ainda há um respeito mútuo.

Saiu de Botucatu muito maior do que quando começou na política eletiva 10 anos antes. Na oportunidade, já almejava uma candidatura na esfera federal e tinha capital para isso.

Em 2018, após presidir a FDE (Fundação para o Desenvolvimento da Educação), ele assumiu a Secretaria de Educação do Estado, atingindo um patamar que nenhum outro político nascido em Botucatu conseguiu alcançar. Mesmo que o preço fosse abrir mão de ser candidato a Deputado Federal surfando boas ondas, como na oportunidade.

Com a derrota de Márcio França para João Doria na oportunidade, viu-se em uma ladeira política. João Cury foi ser então Secretário de Educação no município de São Paulo. Ocorre que em junho de 2019, seis meses após assumir a pasta, foi exonerado do cargo pelo Prefeito e amigo Bruno Covas, muito pressionado pelo então correligionário João Doria.

Um pouco antes, em maio de 2019 o Tribunal de Justiça de São Paulo condenou o ex-prefeito de Botucatu e o Professor Narciso Minetto Júnior, ex-Secretário Municipal de Educação em Botucatu, no polêmico caso Sangari. A decisão de Segunda Instância apontou improbidade administrativa, ressarcimento aos cofres públicos e perda dos direitos políticos por 5 anos.

Houve ainda uma outra ação do Ministério Público em novembro de 2020, que também envolvia o ex-vice-Prefeito Antônio Luiz Caldas Júnior por acumulo de cargos, e que também colocava restrições políticas aos nomes.

Mesmo assim, de dois anos para cá ele intensificou suas ações nas redes sociais, notoriamente com vistas às eleições de 2022, especialmente a uma candidatura a Deputado Federal. João faz seu trabalho enquanto recorre em instâncias superiores (no STJ) para reaver seus direitos políticos.

Mário Ielo

O Arquiteto Urbanista e Engenheiro Cartográfico Antônio Mário Ielo hoje está no PDT, mas suas vitórias ocorreram quando ainda estava no PT. Já concorreu seis vezes ao cargo de Prefeito de Botucatu (1996, 2000, 2004, 2012, 2016 e 2020), mas nunca esteve em uma eleição para o legislativo.

Foi Prefeito de Botucatu entre os anos de 2001 e 2008. Na eleição de 2004, por exemplo, foi reeleito com 77% dos votos, a segunda maior aprovação nas urnas de Botucatu (perdeu apenas para os 85,6% de Pardini em 2020).

Até 2016 Mário Ielo tinha a primazia do sobrenome, mesmo já tendo sua esposa como vereadora. Desde então, não há como dissociar seu nome com o de Rose Ielo. Um exemplo disso, é que até o prazo final de anúncio dos nomes para a disputa da Prefeitura em 2020, Rose Ielo era apontada como provável candidata.

Rose foi reeleita para um terceiro mandato apenas em uma nova definição na distribuição dos votos. Foram 446 votos a menos do que na eleição anterior (1766/1320). Porém, o pior resultado coube mesmo ao ex-Prefeito de Botucatu.

Mário Ielo sofreu uma amarga derrota com 5.098 votos, fazendo 7,45% dos votos válidos. Muito pouco para quem foi Prefeito duas vezes. Um revés incontestável que ele tentará reverter em outubro deste ano.

Em 2018 o PDT chegou a lançar as candidaturas de Rose Ielo e Mário Ielo a Deputado Federal e Estadual respectivamente. A ata de convenção do partido confirmou na oportunidade. Porém, ambos declinaram da eleição na última hora.

Compartilhe esta notícia
Oferecimento
BERIMBAU INST DESK
Oferecimento