Afastado da Alesp após acusação de importunação, Fernando Cury é eleito para Conselho da Criança e do Adolescente em SP

O deputado estadual afastado Fernando Cury (Cidadania) foi eleito no último domingo (15) membro do Conselho Estadual da Criança e do Adolescente do Estado de São Paulo (Condeca-SP) para um mandato de dois anos, entre 2021 e 2023.

O Condeca-SP é um colegiado consultivo composto por 40 conselheiros (20 titulares e 20 suplentes) que participam da elaboração das políticas públicas de atendimento à criança e ao adolescente com o governo estadual. Os integrantes são eleitos todos pela sociedade civil.

Em abril, Cury foi afastado do mandato da Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp) por seis meses, após ter sido acusado de importunação sexual ao passar a mão no seio da deputada Isa Penna (PSOL) no plenário da Casa.

Em decisão inédita, o plenário da Alesp suspendeu o mandato dele por 180 dias, empossando o suplente, Padre Afonso (PV), até outubro, quando Cury pode voltar a exercer o mandato parlamentar.

O deputado do Cidadania também foi denunciado à Justiça pelo procurador-geral de São Paulo, Mario Luiz Sarrubo, pelo mesmo crime de importunação sexual, em abril. A Justiça ainda não aceitou a denúncia contra o parlamentar, segundo o Ministério Público de São Paulo (MP-SP).

Segundo o Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP), a denúncia do MP ainda não foi avaliada pela Justiça porque o deputado estadual precisa apresentar a defesa prévia dele antes e ainda não fez isso.

Em nota, a Secretaria de Desenvolvimento Social informou não ter responsabilidade sobre as eleições do Condeca-SP.

“O órgão é independente, formado por 40 membros (sendo 20 titulares e 20 suplentes) representantes do poder público e da sociedade civil. A eleição de seus membros ocorre de forma completamente autônoma do Governo do São Paulo e é realizada por 453 representantes de organizações da sociedade civil ligadas à defesa dos diretos das crianças e adolescentes. Na eleição realizada no dia 15 de agosto, Fernando Cury foi um dos 40 membros eleitos. Legalmente, a pasta não pode interferir na decisão.”

O G1 contatou o deputado Fernando Cury, mas ele não se manifestou até a última atualização dessa reportagem. Ele, porém, divulgou um vídeo nas redes sociais comemorando a eleição no domingo (15).

“Tive a oportunidade de ser reeleito conselheiro. Eu estou muito feliz porque essa reeleição é um reconhecimento do nosso trabalho”, disse ele na gravação.

A deputado Isa Penna (PSOL), que foi vítima do ato de Fernando Cury na Alesp, comentou a eleição do parlamentar para o órgão.

“É tudo muito escandaloso. Um deputado afastado por assédio eleito em órgão da sociedade civil para zelar e proteger crianças? O Brasil já não está aceitando mais isso, é claro que o sistema antigo deles ainda falou mais alto, mas não é algo que é bem recebido. (…) O que posso dizer que não sou eu, não é pelo assédio mais, é pelo significado desta eleição. Sei que as organizações estão incomodadas e se elas estão chegando em mim, como deputada eu estou prestando o serviço de atender e ouvir”, disse.

Fonte: Portal G1