Suspeito de liderar ataque em Botucatu pode ter participado de outros grandes assaltos

Crime em Botucatu continua sendo investigado

Foto Acontece Botucatu

O principal suspeito de liderar o ataque a cidade de Botucatu também pode ter participação em outros grandes assaltos. O homem apontado como mentor do crime é Carlos Wellington de Jesus, que está atualmente foragido.

Ele tem uma longa ficha criminal e é especialista em assaltos de grande proporção. Ele também teria participado do maior roubo já registrado no estado do Piauí.

Segundo reportagem da Record TV, uma denúncia do Ministério Público do Piauí que mostra que ele atuou ao lado de Marcelo José de Lima, preso pelo roubo de 700 kg de ouro no Aeroporto de Guarulhos.

A identificação do suposto líder do grupo foi divulgada na noite desta quinta-feira (13), em reportagem exibida pela Record, e confirmada nesta sexta-feira (14) pela Polícia Civil. Segundo a reportagem, ele já foi condenado por roubo milionário no Piauí e teria sido o mentor do ataque em Botucatu.

Um segundo suspeito de participar da ação criminosa, de acordo com a reportagem da Record, tem forte ligação com esse suposto líder e integrou a quadrilha que roubou 760 quilos de ouro do aeroporto de Guarulhos no ano passado, além de participar de grande roubo no Paraguai, em 2017.

O ataque e a investigação

Na madrugada do dia 30 de julho aproximadamente 30 elementos invadiram a cidade, roubaram uma agência do Banco do Brasil, tentaram explodir outros caixas, fizeram reféns e trocaram tiros com a polícia por 3 horas. O crime espalhou medo entre os moradores.

O inquérito policial corre pela Seccional de Botucatu, através da DIG (Delegacia de Investigações Gerais). O Delegado Geraldo Franco comanda as diligências do caso, colhendo provas e ouvindo testemunhas.

O trabalho conta com ajuda do DEIC (Departamento Estadual de Investigações Criminais). Armas e parte do dinheiro foram recuperados.

Com informações da Record TV e Acontece Botucatu