Rastro de destruição: Botucatu ardeu em chamas em mais um dia de incêndios criminosos

Foram registrados mais de 10 focos de incêndio por dia Botucatu, nos últimos dias

Fogo já destruiu boa parte da vegetação no território de Botucatu nas últimas semanas (Arquivo Acontece Botucatu)

Botucatu contabilizou hoje, 25, dezenas de focos de incêndio, assim como vem ocorrendo há várias semanas. A cada dia o município se supera em áreas queimadas e ninguém consegue flagrar os responsáveis.

Nesta quarta-feira, 25, a violência das chamas assustou trabalhadores, condutores e moradores em uma enorme área que compreende as Rodovias Eduardo Zuccari e João Hipólito Martins, a Castelinho. Labaredas com mais de 10 metros de altura queimaram os eucaliptos do local e destruíram vários hectares de vegetação.

“Era surreal, as chamas eram altas, mas também rasteiras, como se fosse larva de vulcão. Eu nunca vi isso, triste demais”, disse um leitor.

Além do fogo que chegou ao aterro sanitário, outros focos foram registrados, como Demétria, Rubião Junior, entre outros. Na terça-feira, após queimada na região do Parque Municipal, uma escola infantil precisou ser evacuada por conta da forte fumaça e os pais precisaram correr para acudir as crianças.

Em conversas com Bombeiros, Defesa Civil e Brigadas, percebe-se que todos estão no limite. “Estamos todos esgotados. Não estamos vencendo e as pessoas precisam se conscientizar. As pessoas correm riscos, plantações estão sendo destruídas, animais morrendo e a natureza em Botucatu pedindo Socorro”, lamentou o Sargento do Corpo de Bombeiros Wilson Ferrari.

“Complicado. Estamos passando por um período muito complicado. A imprensa está nos ajudando bastante a tentar conscientizar a população, com prevenção, mas está difícil. Não conseguimos chegar no autor, poucas pessoas acabam denunciando e é um trabalho árduo, que exige muito psicologicamente, fisicamente e a cidade tomada de incêndio em vegetação, infelizmente”, disse em entrevista ao Acontece o Coordenador da Defesa Civil Lucas Trombaco.

A opinião é quase unanime sobre a origem humana das queimadas, ou seja, criminosa. Forças de Segurança e especialista não discutem esse ponto. Os prejuízos são incalculáveis, em especial para a natureza, que agoniza e vai demorar para se recompor.

“O pior são animais, florestas que se perdem, solo empobrece, nascentes são prejudicadas e a população totalmente vulnerável num ar já seco e poluído e agora com mais fumaça. Aí no final de semana chove e tudo é esquecido. Tem de ser feita uma investigação para pegar essas pessoas e colocá-las na CADEIA”, desabafou o Professor e Consultor Ambiental Sidir da Silva Junior ao comentar um vídeo sobre as queimadas.

No último final de semana uma área de 360 mil m2 foi destruída na região do Araqua em Botucatu. Uma semana antes outra área gigantesca foi devastada pelo fogo compreende o Aeroporto, Embraer, Hospital Cantídeo, Fundação Casa, SARADE, Roma Motel e Espaço da Mata e Escola do Meio Ambiente.

É crime

O crime de incêndio ambiental está previsto no art. 41 da Lei Federal 9.605/98

Art. 41. Provocar incêndio em mata ou floresta:

Pena – reclusão, de dois a quatro anos, e multa.

Parágrafo único. Se o crime é culposo, a pena é de detenção de 6 (seis) meses a 1 (um) ano, e multa.

Também há previsão no artigo 250 do Código Penal

Quem for flagrado incendiando terrenos ou áreas verdes do Município será penalizado através de multas aplicadas e cadeia pela Policia Ambiental. Denúncias podem ser feitas através do telefone 190 (PM) e 199 (GCM). O telefone do Corpo de Bombeiros para o atendimento de ocorrências é o 193.

Veja abaixo um vídeo com imagens aéreas feitas pelo internauta Fernão Spadotto sobre o incêndio na Eduardo Zuccari.