Quadrilha que aplicava golpe do bilhete premiado é presa pela Polícia Militar em Botucatu

A Polícia Militar de Botucatu prendeu, nesta quarta-feira, 06, cinco homens que praticavam estelionato no Município. Os policiais da cidade, com apoio de policiais rodoviários, receberam informações de que dois veículos, sendo um Renault Logan e um Fiat Uno, ambos oriundos do Estado de Santa Catarina estariam aplicando golpes do bilhete premiado em idosos em Botucatu.

Com as informações, as equipes localizaram o Renault Logan ocupado por dois homens e identificaram que um deles portava CNH falsa e era procurado da justiça pelo crime de estelionato, praticado no Município de Florianópolis. Foi constatado ainda que o carro era produto de estelionato.

Ambos foram conduzidos ao Distrito Policial de Botucatu, onde a ocorrência foi registrada e o homem procurado da justiça foi autuado em flagrante por uso de documento falso e permaneceu preso. O outro homem foi ouvido e liberado. O veículo foi apreendido.

Durante a apresentação da ocorrência, uma das vítimas de tentativa de estelionato foi identificada e compareceu ao Distrito Policial, narrando que foi abordada por dois homens, os quais lhe ofereceram os bilhetes e avistou que eles estavam em um carro branco, mas ela desconfiou e não os atendeu.

Policiais Militares do Tático Ostensivo Rodoviário (TOR), sabedores da aplicação do golpe, conseguiram interceptar o outro veículo, ocupado por três homens, no Município de Pratânia, na Rodovia que liga Pratânia a Avaré.

Em compartilhamento de informações, a vítima reconheceu dois dos indivíduos e esses também foram conduzidos ao Distrito Policial, onde o fato foi registrado como estelionato tentado e os homens permaneceram presos.

A forma de atuação da quadrilha era com vítimas idosas, as quais abordavam, criavam vínculo de afetividade e lhes ofereciam um bilhete de loteria.

Os criminosos argumentavam que não poderiam receber o prêmio por estarem com restrições nos nomes e os venderiam por um preço irrisório e que a vítima poderia deslocar a uma Lotérica para recebê-los.

Quando a vítima percebesse, eles estariam longe do Município e em destino desconhecido. As idades dos criminosos são entre 27 e 35 anos.