Polícia Rodoviária prende estelionatários do “golpe do cartão” na Castelo Branco

 

Os dois homens confessaram que aplicaram golpes na cidade de Birigui e estavam retornando a Capital Paulista

Durante patrulhamento pela Rodovia Presidente Castelo Branco, SP 280, próximo a Itatinga, uma Equipe do Tático Ostensivo Rodoviário, TOR, percebeu que os dois ocupantes de um veículo locado ficaram nervosos e fixaram os olhares para frente, fato que chamou a atenção para a abordagem.

Após a abordagem do automóvel, os ocupantes foram submetidos à busca pessoal de ilícito foi localizado nas vestes dos abordados. Ao ser realizada a busca veicular, os policiais militares rodoviários localizaram no interior do automóvel, 4 máquinas de crédito/débito, sendo duas delas encontradas no assoalho embaixo do banco do passageiro e outras numa sacola, além e R$ 1.600,00 em espécie dentro da mochila do condutor.

Os homens foram questionados a respeito da viagem que faziam e apresentaram versões desconexas e informaram que estavam retornando do município de Birigui/SP. A Equipe do TOR verificou que poderia se tratar do crime de Estelionato e resolveu fazer contato com o policiamento Rodoviário da região de Birigui que fez contato na Delegacia do município e foram informados pelos policiais civis que foi registrado um boletim de ocorrência de estelionato, pouco tempo antes e que a vítima, um idoso, havia percebido que já havia sido movimentado R$ 3.500,00 da sua conta após homens terem ido a sua residência retirar seu cartão bancário que havia sido clonado, sendo que pessoas que se passaram por representantes do banco fizeram ligações e o convenceram a entregar o seu cartão bancário.

Os abordados foram questionados a respeito dos fatos novamente e acabaram confessando que fazem parte de uma quadrilha de estelionatários que se passam por representantes de bancos e convencem pessoas, geralmente idosos, primeiramente por meio de ligações telefônicas e depois por pessoas que vão até a residência a fim de retirar o cartão do banco da vítima que teria sido “clonado” e que deve ser entregue para a troca e para que o valor de uma fictícia compra realizada em valor alto seja estornado.

Os homens confessaram que fazem parte da quadrilha mulheres e homens que efetuam as ligações, pessoas que vão até as residências para retirar o cartão das vítimas e as pessoas que repassam as máquinas de cartões para a quadrilha, sendo que cada um recebe uma porcentagem das transações realizadas.

Diante dos fatos, foi dada voz de prisão aos dois abordados pelo crime de Estelionato e a ocorrência foi encaminhada ao Plantão de Polícia Civil de Botucatu para o registro do flagrante. Foram apreendidos o veículo, as 4 máquinas de cartões, dois aparelhos celulares e a quantia de R$ 1.730,00, permanecendo os presos pela carceragem do plantão policial, a disposição da justiça.

Os homens de 34 e 19 anos, moradores de São Paulo, podem ser condenados a pena de reclusão, de 4 (quatro) a 8 (oito) anos, e multa, pois cometeram o crime de estelionato com a utilização de informações fornecidas pela própria vítima ou por terceiro induzido a erro por meio de contatos telefônicos, conforme o artigo nº 171, §2º-A do Código Penal.