Polícia investiga se homem que matou PM em Piracicaba estava envolvido no ataque a banco de Botucatu

 

A polícia está investigando se o homem que matou um policial militar em Piracicaba (SP) teve envolvimento no assalto à agência da Caixa, que ocorreu na última quarta-feira (11), em Botucatu. O suspeito também morreu no sábado (14), em um confronto com a polícia.

A troca de tiros que terminou na morte do PM aconteceu depois que o carro do suspeito foi abordado pela polícia. Ele transportava nove fuzis, colete e materiais de explosivos, o que faz a polícia suspeitar do envolvimento dele no assalto que aconteceu dias antes em Botucatu.

“Teve um fato em Piracicaba, possivelmente relacionado ao caso de Botucatu, mas isso vai depender do trabalho pericial para colocá-los na cena do crime de Botucatu. Por enquanto é só objeto de investigação. Ele estava transportando nove fuzis, mesmo tipo de armamento utilizado aqui, então nós vamos fazer o cruzamento de informações”, informa o delegado Lourenço Talamonte Neto.

Tiroteio

Segundo a polícia, a equipe abordou o veículo do suspeito na manhã de sábado (14), mas o motorista utilizou um fuzil de uso restrito por forças de segurança para fazer disparos contra os PMs e fugiu em seguida.

Dois policiais foram atingidos pelos disparos, mas Vinicius da Silva de Melo, que atuava no 10º Batalhão de Piracicaba, não resistiu aos ferimentos e morreu.

Ainda de acordo com a polícia, o suspeito foi localizado pelos policiais momentos depois em uma área de mata, próximo ao local do crime, e foi morto pela PM em uma nova troca de tiros.

Sérgio Gomes Samad, de 35 anos, tinha três passagens por roubo. De acordo com a polícia, ele cumpriu pena no sistema prisional e estava em liberdade desde 2016. Na hora da morte do PM, ele estava sozinho no carro e outros suspeitos do assalto em Botucatu ainda não foram localizados.

A cidade de Piracicaba fica a cerca de 115 quilômetros de Botucatu e um dos carros utilizados no ataque ao banco foi localizado pela polícia ainda na quarta-feira, abandonado na rodovia Geraldo Pereira de Barros, no distrito de Vitoriana, sentido Piracicaba.

A investigação do assalto ao banco é de competência da Polícia Federal, mas a Polícia Civil de Botucatu informa que está colaborando com as investigações.

“É um crime de competência da Polícia Federal, então todas as informações que colhemos até o momento, repassamos para a Polícia Federal que vai instaurar inquérito policial a respeito”, explica o delegado.

Informações do portal G1