Polícia identifica mais 10 criminosos envolvidos em ataques contra Botucatu

A polícia civil de Botucatu identificou mais 10 pessoas que são suspeitas de ter participação no ataque criminoso em Botucatu, praticado no final de julho em Botucatu. Até o momento 8 pessoas foram presas.

A informação foi dada pelo delegado Seccional Lourenço Talamonte Netto da Seccional de Botucatu ao site Agência 14 News. Segundo o delegado, um dos bandidos é um criminoso com extensa ficha criminal com mais de 30 anos de condenação no Piauí, além do envolvimento de um irmão dele nos crimes.

O ataque ocorreu no Banco do Brasil e joalheria, com incêndios em frente ao Batalhão, entradas da cidade, roubo de veículos e troca de tiros com a polícia, com duração de 3 horas de disparos.

Relembre 

 

Na madrugada do dia 30 de julho aproximadamente 30 elementos invadiram a cidade, roubaram uma agência do Banco do Brasil, tentaram explodir outros caixas, fizeram reféns e trocaram tiros com a polícia por 3 horas. O crime espalhou medo entre os moradores.

O inquérito policial corre pela Seccional de Botucatu, através da DIG (Delegacia de Investigações Gerais). O Delegado Geraldo Franco comanda as diligências do caso, colhendo provas e ouvindo testemunhas.

O trabalho conta com ajuda do DEIC (Departamento Estadual de Investigações Criminais). Armas e parte do dinheiro foram recuperados.

“As investigações prosseguem e temos até o momento oito pessoas presas, com prisões preventivas decretadas pela Justiça, e outras pessoas envolvidas com o crime já identificadas, além dos fuzis, veículos, dinheiro, joias recuperados”, disse ao Acontece Botucatu o Delegado Seccional de Polícia Dr. Lourenço Talamonte Neto.

O grupo de assaltantes armados com fuzis e metralhadoras que enfrentou a Polícia por três horas conseguiu fugir com cerca de R$ 2 milhões da agência central do Banco do Brasil atacada.

“Não podemos prender por prender, pois logo depois estão na rua. Neste momento estamos na fase de investigação, de colocar as pessoas na cena do crime. Queremos um inquérito estruturado, que ocorram as prisões e ao final as condenações e para isso precisamos sedimentar bem esse trabalho com provas”, finalizou Talamonte.

O valor total do roubo, de acordo com a Polícia Civil, era de R$ 3,6 milhões. Porém, conforme já noticiado pelo Acontece Botucatu, o valor de R$ 1,6 milhão foi deixado pelos criminosos durante a violenta fuga pelas ruas da cidade. O valor estava dentro de um veículo utilizado na noite dos ataques.