Polícia Civil de Itatinga resgata cachorro acorrentado em árvore durante tempestade


Na noite desta sexta-feira, 26, os policiais Civis Glauco e Luciano de Itatinga se deslocaram até uma chácara do município para verificar uma denúncia anônima de maus tratos a animal. Segundo a denúncia, o proprietário do local, mantinha um cachorro acorrentado a uma árvore, sem nenhuma proteção contra a tempestade que assolava o município naquela noite, diz boletim.

Os policiais chegaram nessa chácara com forte chuva e após realizarem buscas, encontraram o cão amarrado nessa árvore. Segundo a polícia, o mesmo estava com fome, frio e medo dos relâmpagos, pois no local, não havia sequer uma cobertura para sua proteção, diz boletim de ocorrência. Porém, o proprietário do animal contesta que o cachorro estivesse com fome (leia a versão dele abaixo).

O arrendatário da chácara disse aos policiais civis que havia esquecido o animal acorrentado. Diante dos fatos, o tutor foi conduzido à Delegacia de Polícia de Itatinga e apresentado ao Delegado de Polícia Dr. Antenor de Jesus Zeque, que determinou a elaboração de um termo circunstanciado em relação aos maus tratos ao animal,
crime este, previsto no artigo 32 da lei 9605/98.

Atualização (às 10h55m de domingo 28/06/2020):

O proprietário do animal entrou em contato com a redação do Acontece Botucatu para relatar sua versão. Ele pediu para não ser identificado, o que será respeitado pelo jornal. Primeiramente deixou claro que o cachorro nunca passou fome, assim como os outros animais da chácara, que está à disposição para quem quiser ver.

“Ele estava sim no tempo ,o que foi um caso a parte na data da ocorrência, mas está a disposição de quem quiser vir e ver que fome ele nunca passou aqui. O que ocorreu no dia foi um fato isolado e errado sim de nossa parte e não irá se repetir”, disse o proprietário.

“Assumo o erro de ter esquecido o animal mas ele não sofre maus tratos nem passa fome”, finalizou.

 

Foto: Divulgação Polícia Civil