Operação ‘Direção Segura’ aborda quase 300 condutores em Botucatu

Segundo a Polícia Civil, 12 motoristas se recusaram a fazer o teste do bafômetro em Botucatu

 

Foto Polícia Civil

Foi realizada na noite desta sexta-feira (17) e madrugada de sábado (18) a operação conjunta denominada “Direção Segura”. O programa integra equipes do Detran-SP, das Polícias Civil, Técnico-Científica (IML) e Militar.

O objetivo da operação era fiscalizar e combater o uso de bebidas alcoólicas por motoristas de Botucatu. O projeto ficou suspenso mais de um ano por conta da pandemia.

Segundo a Polícia Militar, foram abordados 280 condutores, sendo que 12 deles se recusaram a realizar o teste do etilômetro, o popular bafômetro. Não houve, porém, nenhuma prisão em flagrante, ou seja, o motorista que apresenta visível estado de embriaguez.

A fiscalização ocorreu em dois pontos da cidade. O primeiro bloqueio foi no Largo da Catedral e o segundo na Rua Victor Atti, Vila dos Lavradores, após o Pontilhão. A ação durou até a madrugada.

De acordo com a Polícia Civil, agentes e policiais estavam presentes para agilizar o processo de autuação e prisões, se necessário. O Primeiro Distrito Policial ficou aberto até às 02h00 para a operação.

“Retomamos essa operação integrada, com participação de Polícia Civil, Polícia Militar e Detran e também apoio da da GCM. Não tivemos nenhuma prisão em Flagrante. Essa atividade tinha sido interrompida por conta da pandemia e agora nesse segundo semestre retomamos esse Trabalho importante de prevenção, principalmente no que se refere a embriaguez ao volante. E para o pleno êxito dessa operação, o Primeiro Distrito policial na Rua João Passos, ficou aberto até às 02h00 para a operação. As demais ocorrências foram encaminhadas ao Plantão da Polícia Civil”, explicou ao Acontece Botucatu o Delegado Seccional de Polícia Civil Dr. Lourenço Talamonte Neto.

Pela Lei 12.760/2012, que ficou conhecida como “Lei Seca”, todos os motoristas flagrados em fiscalizações têm direito à ampla defesa, até que a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) seja efetivamente suspensa. Se o condutor voltar a cometer a mesma infração dentro de 12 meses, o valor da multa será dobrado. Atualmente o valor da multa nesses casos é de R$ 2.934,70.