Polícia Civil de Botucatu faz reconstituição de assassinato no Monte Mor

A Polícia Civil de Botucatu realizou na manhã desta terça-feira, 26, a reconstituição de um assassinato ocorrido no Jardim Monte Mor em outubro de 2020. Na ocasião, Maria Romildes Conceição da Silva, de 40 anos, que estava em um trailer de lanches foi morta a tiros.

O delegado Dr. Geraldo Franco e a equipe da DIG, Delegacia de Investigações Gerais, com apoio da GCM refizeram a cena do crime durante a manhã. A Polícia Científica realizou o procedimento que irá constar no inquérito policial.

O suspeito de 41 anos foi preso no dia 09 de dezembro de 2020 pelos policiais de Botucatu. Segundo o delegado Lourenço Talamonte Neto, titular da Delegacia de Investigações Gerais (DIG) de Botucatu, após as investigações apontarem para o suspeito, uma operação foi montada com apoio da Polícia Militar e Guarda Civil Municipal para prender o homem, que possui antecedentes criminais por tráfico de drogas.

Ainda segundo as investigações, a motivação do crime teria sido uma ação de vingança, já que o suspeito e a vítima possuíam um histórico de desentendimentos anteriores. Segundo o boletim de ocorrência, no dia do crime o suspeito chegou em uma moto e atirou contra Maria Romildes, que estava sentada em frente ao trailer. Outras duas pessoas também ficaram feridas após serem atingidas pelos disparos.

Ainda segundo o registro, Maria chegou a ser socorrida após ser atingida por pelo menos três tiros, no abdômen, no quadril e no rosto. Ela foi levada para o pronto-socorro, mas não resistiu aos ferimentos e morreu.

As outras duas pessoas atingidas foram um jovem de 22 anos, que comia no local e foi ferido na perna e no braço, e uma grávida, de 19 anos, que passeava com o cachorro na calçada onde fica o trailer e acabou atingida nas costas.

Os dois já se recuperaram e a jovem, que estava na 36ª semana de gestação, recebeu alta do hospital dois dias após ser atingida.

Pelo resultado do tiroteio, o suspeito, que continua preso, responde por homicídio qualificado (motivo torpe e sem dar chance de defesa à vítima) e por duas tentativas de homicídio.