Dona de joalheria assaltada por quadrilha em Botucatu viu crime ao vivo pelo celular: ‘Não podia fazer nada’

Os criminosos que atacaram pelo menos três agências bancárias e explodiram uma delas em Botucatu (SP) também assaltaram uma joalheria da cidade. A dona da loja acompanhou a ação dos bandidos através do celular, pelas câmeras de monitoramento do estabelecimento.

Rosângela Alves contou que, por volta das 23h40, começou a escutar os barulhos de tiros que tomaram a cidade. A ação criminosa em Botucatu fez a cidade, de pouco mais de 145 mil habitantes, ser um dos assuntos mais comentados no Twitter na madrugada desta quinta-feira (30).

Ela e o marido acompanharam as notícias sobre o crime através das redes sociais, assim como muitos dos moradores. No entanto, o celular do marido dela começou a tocar, devido ao alarme disparado da loja, e os dois passaram a acompanhar o crime através das câmeras de monitoramento.

“A gente começou a ver tudo ao vivo. O pessoal atirando na porta, quebrando tudo, arrastando tudo, e a gente ficou apreensivo porque não podia fazer nada e as nossas coisas sendo levadas”, conta a dona.

Além das agências bancárias e da loja de Rosângela, os criminosos invadiram uma casa durante a ação e fizeram uma família refém.

Vídeos que circulam nas redes sociais mostram os homens entrando na garagem da residência e também em um estacionamento, onde pessoas foram empurradas para fora pelos criminosos.

Ataque

O ataque em Botucatu começou por volta das 23h30 e durou cerca de três horas. O crime causou pânico na cidade e pelo menos 40 homens teriam participado da ação.
Os criminosos trocaram tiros com a polícia e incendiaram veículos, um deles em frente ao batalhão da PM, para atrapalhar a ação dos policiais. Outros cinco veículos foram incendiados em rodovias nos acessos a cidade.

Pela manhã, em um novo tiroteio entre policiais e criminosos na Rodovia Marechal Rondon, um suspeito ficou ferido após ser baleado enquanto tentava fugir. Ele foi socorrido, mas chegou morto ao hospital.

Policiais do GOE (Grupo de Operações Especiais) e da Rota foram acionados e auxiliaram nas buscas. Na Rua Rangel Pestana, que foi usada na rota de fuga, os criminosos trocaram tiros com a polícia e abandonaram um veículo que foi totalmente alvejado. Os tiros também atingiram imóveis no local.

Equipes da Polícia Militar fizeram patrulhamento pelas vias que dão acesso ao município. Até o momento, foram apreendidos sete fuzis calibre 762 e um .50 e uma metralhadora 9 mm, sete veículos, dois coletes balísticos, um malote de dinheiro e um rádio comunicador. Ainda foram recolhidos 17 artefatos explosivos improvisados, dois cartuchos de emulsão e três granadas.

O Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic) foi acionado e um inquérito foi aberto para investigar a ação da quadrilha e tentar identificar os criminosos. A polícia não descarta a participação do grupo em outros crimes semelhantes ocorridos neste ano na região.

 Terror na cidade

Em uma ação coordenada, bandidos atacaram simultaneamente pelo menos três agências bancárias na região central. Os criminosos usaram explosivos para destruir uma das agências.

Nas outras foram encontrados explosivos não detonados. Equipes do Gate foram até cidade para recolher as dinamites, que foram detonados em uma área afastada. Em um vídeo registrado por moradores é possível ver o fogo causado por uma das explosões.

A página da Prefeitura de Botucatu no Facebook publicou um comunicado orientando que moradores fiquem trancados em suas casas.

“A Prefeitura de Botucatu solicita a todos os munícipes que durante esta madrugada permaneçam em suas casas e não procurem possíveis pontos danificados pela cidade, para que isso não coloque em risco a segurança de todos e não interfira no trabalho das forças de segurança.”

Por causa dos ataques, vários pontos da cidade registaram corte na energia elétrica e esse problema afetou até o sistema de saúde, inclusive a Central Coronavírus que teve problemas técnicos e na internet. Ao todo, cerca de 100 consultas foram desmarcadas, nas 20 unidades básicas de saúde, no município. Segundo a secretaria municipal de saúde foi preciso fechar as UBSs pra proteger a população e, também, os funcionários da saúde.

Somente os pronto-socorros funcionaram na quinta-feira, porém com movimento reduzido, atendendo somente casos de emergência. Todas as consultas, assim como as cirurgias eletivas, foram desmarcadas, e serão remarcadas posteriormente. Nesta sexta-feira, os atendimentos serão normalizados.

Em nota, o Itaú Unibanco informou que nenhum cliente ou funcionário ficou ferido durante a ação disse também que a unidade da Rua Amando de Barros está fechada temporariamente para reparos e os clientes que necessitarem de atendimento presencial poderão se redirecionar à agência no bairro Cidade Alta ou utilizar os canais digitais.

Já o Banco do Brasil, que teve a agência explodida pelos criminosos, informou que o ataque causou danos estruturais em parte da unidade pelo uso de explosivos. O local passou por perícia nesta manhã e após a liberação da unidade, equipes de engenharia e manutenção do BB serão deslocadas para o local, quando iniciarão avaliação dos danos e procedimentos de limpeza.

A nota destaca ainda que não há um prazo para normalização do atendimento. Ressalta ainda que Banco do Brasil não informa valores subtraídos durante ataques as suas unidades e que colabora com as investigações.

O Bradesco disse que a agência atacada está fechada e que ainda está apurando o ocorrido.

Ação semelhante

O ataque a agências bancárias de Botucatu (SP) não é novidade na cidade. Há apenas sete meses uma ação parecida, mas em menor proporção, também tirou o sono dos moradores.

Em 11 de dezembro do ano passado uma quadrilha fortemente armada assaltou uma agência da Caixa Econômica federal. Assim como na ação desta quarta, os criminosos também chegaram durante a madrugada e dispararam vários tiros pela cidade.

Neste ano já foram registrados ataques deste tipo em Avanhandava e Ourinhos.

Fonte: G1