DIG prende suspeitos de assassinato cometido contra policial militar em Botucatu

A Polícia Civil de Botucatu prendeu seis suspeitos de terem assassinado o policial militar aposentado José Paulo de Almeida, de 61 anos.

De acordo com informações do site Agência 14 News, a mulher da vítima teria sido da mentora do crime. O delegado Seccional Antônio Soares da Costa Neto informou ao site que o policial foi dopado e depois morto com uma facada.

A atual mulher contou com ajuda do filho, preso em Pirajuí, para contratar os assassinos, diz a investigação da Polícia Civil.

Ainda segundo o delegado, a mulher, que morava há 3 anos com ele, dopou o policial durante um lanche e depois os criminosos entraram na casa e cometeram o crime. Ele foi amarrado depois de morto, e escreveram a descrição de uma facção criminosa nas costas dele com batom.

Além da mulher, dois homens e outras duas mulheres foram presos em Guarulhos. Foi preso também o ex-marido dela de Bauru. Para a polícia, o objetivo da mulher seria sacar um seguro de vida 80 mil reais, além do seguro do carro.

Os presos de Guarulhos serão conduzidos à Botucatu para serem ouvidos.

Relembre o caso 

O policial militar aposentado José Paulo de Almeida, de 61 anos, foi encontrado morto dentro de sua casa no Jardim Iolanda, no dia 27 de julho de 2019.

De acordo com o a Polícia, o corpo apresentava dois ferimentos profundos de faca e ele estava amarrado de bruços na cama. Havia inscrições no corpo feitas por batom que indicavam uma facção criminosa feita com batom.

A companheira do policial, uma mulher de 53 anos, foi encontrada em Bauru, por volta das 3h, de ontem, descalça e de pijama. Ela pediu socorro em um posto na avenida Nações Unidas, na zona Sul, dizendo ter sido alvo de roubo e que teria sido trazida para a cidade, durante a fuga dos bandidos. O caso foi registrado como homicídio qualificado, seguido de sequestro/cárcere privado e danos.

A Polícia Militar inicialmente foi acionada para verificar um carro em chamas em umas das saídas do município, ao consultar a placa do veículo Renault Sandero, descobriram que o mesmo era da vítima do crime. Ao chegarem na residência, encontraram o corpo.

A esposa da vítima encontrada em Bauru contou que três pessoas encapuzadas, uma delas armada com um revólver, invadiram o imóvel enquanto o casal dormia. Após matarem o policial, elas teriam fugido com, pelo menos, três carros. Em um deles, estariam alguns eletrônicos que teriam sido recolhidos pelo grupo na casa.

Um Renault/Kwid, que seria da mulher, foi encontrado por volta das 10h de ontem em uma estrada rural de Botucatu. A Polícia Civil solicitou a coleta de digitais no veículo. A companheira do policial teria contado que foi levada para Bauru em um Chevrolet/Prisma e que um VW/Gol vermelho acompanhava o grupo. Ela não foi ferida.

Após ser ouvida, a mulher foi liberada. Uma agenda dela foi recolhida pela polícia na casa. O corpo de José Paulo foi levado para o Instituto Médico Legal (IML) de Avaré. Há suspeita de que a vítima tenha sido amarrada depois de dopada ou morta.

Com informações do site Agência14News