Adutora destruída na Rafael Sampaio atende 18 bairros com mais de 11 mil ligações de água

Foto Acontece Botucatu

A ponte que desabou na Rua Rafael Sampaio não prejudicou apenas o trânsito e locomoção em uma área central da cidade, ela causou um enorme transtorno a milhares de pessoas da zona leste de Botucatu.

As equipes da Sabesp estão trabalhando no local há 40 horas ininterruptas para concluir a construção do apoio metálico que servirá de sustentação para uma nova adutora. Esse dispositivo tem 36 metros de comprimento e está sendo instalado no local em substituição da antiga estrutura, que foi levada pela queda da ponte.

Esse sistema atende 11 mil ligações de água da região leste da cidade, com cerca de 18 bairros.  Os locais mais afetados são as partes mais altas, aproximadamente 4 mil ligações, envolvendo cerca de 16 mil moradores.

Após o término dos serviços, com a interligação às redes existentes, previsto para a noite desta terça-feira (11), o fornecimento de água deve ser normalizado gradualmente, na quarta-feira (12). A Companhia solicita a colaboração dos moradores no uso racional da água armazenada nas caixas de água.

A Sabesp está ainda com 16 caminhões-pipa e carretas, com capacidade de 240 mil litros de água, que serão levados para o reservatório da Vila Mariana e para atendimentos emergenciais, que podem ser solicitados por meio do 0800 055 0195 (ligações gratuitas).

Veja também 

Em Botucatu, Governador em exercício anuncia plano de contingência após chuva