Sem registro definitivo, Coronavac não será usada para 3ª dose, diz Ministro da Saúde

Nacionais
Sem registro definitivo, Coronavac não será usada para 3ª dose, diz Ministro da Saúde 03 setembro 2021

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, afirmou em entrevista à CNN nesta sexta-feira (3) que a pasta não recomendará o uso da Coronavac para a terceira dose enquanto não houver o registro definitivo concedido pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

“É necessário que haja a aprovação dos imunizantes para aplicação nestes grupos específicos, não podemos colocar qualquer imunizante. Só tem um deles com aprovação [definitiva] da Anvisa [incluindo os adolescentes]. E, se não tiver a aprovação da Anvisa, nós não vamos aplicar através do PNI”, disse.

“Vou deixar bem claro: aprovação da Anvisa. Vamos avançar com a dose de reforço nesses grupos e, se as pesquisas apontarem para necessidade desse reforço no restante da população brasileira, faremos isso até o final do ano”, completou, na entrevista à CNN.

As vacinas da Pfizer e da AstraZeneca são as únicas que possuem o registro definitivo da Anvisa. No caso da Pfizer, somente ela possui autorização final para uso em adolescentes. As vacinas Coronavac e Janssen possuem a autorização para uso emergencial.

Marcelo Queiroga afirmou que a restrição à Coronavac para a terceira dose seria uma restrição geral a todas sem o registro definitivo. “Não só Coronavac, mas qualquer uma das vacinas que não tenham o registro da Anvisa não serão utilizadas por uma questão de segurança da população”, disse.

Nota técnica do Ministério da Saúde, no entanto, cita a vacina da Janssen como possibilidade para a aplicação da dose adicional, sem a ponderação da ausência dessa certificação. A vacina da Pfizer, por ser de uma tecnologia diferente das demais, é citada para ser usada “preferencialmente”.

Fonte: CNN Brasil

 

Compartilhe esta notícia
Oferecimento
BERIMBAU INST DESK
Oferecimento