Grávida diz que renasceu após sair da UTI e se curar do coronavírus em Santos

Laura Maria Costa Soriano, de 38 anos, conta como foi período de internação e fala sobre rápida recuperação que teve no hospital. Ela também relata sintomas da Covid-19.

Uma gestante moradora de Santos, no litoral de São Paulo, se curou do novo coronavírus após ficar internada em um hospital da cidade. A pedagoga Laura Maria Costa Soriano, de 38 anos, relata que passou quase uma semana no hospital e quatro dias na UTI, e que a recuperação rápida foi uma surpresa para os médicos. “Eu renasci. Só consigo pensar que estou aqui, bem e viva”, declara a gestante.

A pedagoga foi liberada do hospital na última quarta-feira (8), e contou, neste domingo (12), como foram os sintomas e cuidados até a cura. Grávida de sete meses, Laura explica que teve febre, tosse e falta de ar nos primeiros dias. Depois de procurar atendimento médico algumas vezes e se consultar com o ginecologista, os sintomas persistiram e ela foi levada a um hospital, onde ficou internada.

“Tinha tosses muito fortes, chegava a vomitar com o esforço feito. Sentia falta de ar, cansaço, perdi olfato, paladar e apetite. Fui até o hospital e, assim que cheguei, me internaram. Ali eu recebia todas as notícias sozinha, precisava digerir tudo por conta própria, sem poder ver ninguém da família”, conta a gestante.

Ela explica que sentiu muito medo, pelo bebê e também por ficar longe do filho de sete anos. Laura relata que foi para a UTI, onde passou quatro dias sem nenhum contato com familiares. A pedagoga, que desenvolveu diabetes gestacional, ficou com medo da doença ser mais agressiva. “Só acreditei quando meu médico confirmou a Covid-19 e quando entrei na UTI. Ali eu entendi a gravidade de tudo que estava passando”, disse emocionada.

Durante os dias no hospital, ela conta que foi bem atendida por profissionais da saúde, que acompanhavam de perto o quadro da gestante. Até ligação para familiares os médicos fizeram, como forma de acalmar Laura, que ficava muito ansiosa no ambiente hospitalar sem ter notícias.

“Pensava no meu filho, de só sete anos, e no meu bebê. Era o que me dava forças para enfrentar tudo”, declara Laura. Ela explica que o dia a dia no hospital era cercado de exames, medicações, e que os médicos cogitaram entubá-la. Apesar disso, ela apresentou melhora e não precisou do recurso. “Eles falavam para eu ter fé, que tudo iria passar. Me ajudaram a passar por tudo isso”, comenta a gestante.

Com um quadro melhor, paladar e apetite recuperados, Laura foi liberada da UTI e ficou alguns dias na enfermaria. A mudança, comenta a pedagoga, foi um alívio. Ela foi liberada na tarde de quarta, quando pode voltar para casa e ver o filho depois de quase uma semana.

“Ver meu filho novamente me trouxe a felicidade de quando ele nasceu. Eu renasci e esse momento foi muito importante para mim. São tantas mortes, que você esquece que tem cura, esperança. Quando vi meu filho, meu marido, meus pais, tudo valeu a pena”, comemora Laura.

A gestante voltou para a casa onde está com o filho e o marido, em isolamento durante a quarentena. Ela será acompanhada por médicos, inclusive uma que conheceu durante a internação. Ela diz que o momento requer cuidado e prevenção.

A história da recuperação de Laura foi publicada no portal do hospital Santa Casa, em Santos, onde ela ficou internada. A pedagoga conta que decidiu falar sobre o período para levar esperança. “Não sabemos direito como é a cura, o que funciona, nada assim. Mas há esperança. Muita fé e muita oração. É o que precisamos”, finaliza a gestante.

Fonte: G1