Bruno Covas vai para a UTI após sangramento no fígado

Foto TV Globo reprodução

O Prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), foi internado nesta quarta-feira (11) na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) após um sangramento no fígado durante um procedimento para o tratamento do câncer. O prefeito está entubado.

Segundo boletim médico, o sangramento foi controlado e o objetivo da internação na UTI é o monitoramento.

“Após procedimento para demarcação da lesão tumoral, o prefeito Bruno Covas apresentou sangramento intra-hepático, controlado por arteriografia e embolização do foco de sangramento (procedimento minimamente invasivo). O paciente foi encaminhado para a Unidade de Tratamento Intensivo com o objetivo de monitorização constante”, diz o boletim médico desta quarta-feira.

De acordo com o médico David Uip, o sangramento foi causado durante a demarcação do tumor, quando uma agulha é colocada no carcinoma para identificar o tamanho dele.

“Foi um sangramento mecânico. A agulha em algum momento furou uma artéria intra-hepática. O sangramento foi detectado na tomografia. É uma coisa difícil, mas que pode acontecer quando se faz esse procedimento”, disse Uip.

O procedimento para estancar o sangue durou cerca de duas horas e acabou às 18h30 desta quarta-feira, ainda segundo o médico. Até este horário, o prefeito permanecia entubado.

O prefeito já estava internado no Hospital Sírio-Libanês desde domingo (8) para realização de exames. Na terça-feira (10), ele começou a quarta sessão de quimioterapia para tratar o câncer na cárdia – transição entre o esôfago e o estômago – com metástase no fígado. O tratamento, iniciado há seis semanas, deve durar quatro meses com o total de oito ciclos de quimioterapia.

Esse tipo de sangramento não havia sido identificado em exames anteriores.

Tumor regride

Na segunda-feira (9), a equipe do infectologista David Uip informou que o tumor de Bruno Covas regrediu. A lesão no fígado também está tendo uma resposta expressiva, de acordo com a equipe médica. O tratamento quimioterápico ainda deve durar quatro meses.

“Os exames de imagem mostraram uma redução expressiva das lesões dele. O tumor na transição esofogástrica a endoscopia mostrou que está cicatrizando. Os linfonodos estão diminuindo de tamanho e a única lesão que ele tem no fígado está tendo uma resposta expressiva”, disse o oncologista Túlio Pfiffer na ocasião.

O infectologista David Uip afirmou que o quadro clínico é “muito bom” e que Covas tem frequentado a academia. “Garanto que ele não emagreceu. Pelo contrário, ele recuperou peso”, respondeu, quando questionado se Covas está mais magro. “Ele ganhou peso. O que mudou a percepção foi ter feito a barba, o que o fez parecer mais magro.”

Fonte: Portal G1