Aviões com repatriados da China chegam ao Brasil

Fotol Silvio Tulio/G1

Os dois aviões da Força Aérea Brasileira (FAB) com um grupo de repatriados da China devido ao surto de coronavírus pousaram na Base Aérea de Anápolis às 6h05 e 6h11 deste domingo (9). A partir de agora, eles vão ficar em quarentena no local por 18 dias. O ministro da Defesa, Fernando Azevedo e Silva, disse que todos os passageiros estão bem de saúde e assintomáticos.

Ao todo, segundo a FAB, as aeronaves trouxeram 34 passageiros – entre brasileiros e conjugues chineses – que estavam em Wuhan, epicentro do surto do coronavírus. Além deles, também viajou uma equipe de apoio com 24 membros (veja detalhes abaixo). O Ministério da Saúde ainda vai avaliar o quadro de cada um para saber se o grupo de suporte vai precisar ficar isolado.

Os passageiros desceram usando máscaras cirúrgicas e foram direto para um ônibus. Eles eram orientados por uma equipe usando macacões amarelos e máscaras de proteção.

Uma grupo com 50 militares faz a desinfecção dos equipamentos e veículos usados no transporte dos passageiros após o pouso.

Ao todo, foram 95 horas de voo desde que as equipes partiram de Brasília para buscar os brasileiros. Os aviões saíram de Wuhan na sexta-feira (7), fizeram paradas em Urumqi (China), Varsóvia (Polônia) e Las Palmas (Espanha). Já no Brasil, fizeram em Fortaleza uma última escala antes de pousar em Anápolis. As aeronaves chegaram por volta de 1h50 e partiram às 3h25 após reabastecimento. Cada um dos trechos da viagem tem aproximadamente 18,3 mil km.

Surto da doença

Desde o início do surto, no início do ano, a China registrou 812 mortes por coronavírus e 37.251 casos confirmados. No Brasil, são oito casos suspeitos do novo coronavírus e nenhuma confirmação, de acordo com o Ministério da Saúde. Os dados são do balanço divulgado às 13h30 deste sábado. Segundo o governo federal, já foram descartadas 28 suspeitas desde o começo do monitoramento.

Quarentena

O período de quarentena será cumprido na Base Aérea de Anápolis. Os hotéis de trânsito da unidade foram adaptados para recebê-los. No local, eles serão obrigados a usar máscaras quando estiverem fora dos quartos. Além disso, terão a saúde monitorada três vezes ao dia.

Informações do G1