Zoofilia: cachorra é violentada em Botucatu; laudo confirmou o crime

Uma cachorra foi resgatada nesta quinta-feira, dia 21, em Botucatu após sofrer com a prática de zoofilia. A informação foi dada pela vereadora Erika Liao, que é voluntária na Liga do Bem, em postagem no Facebook.

O animal estava abandonado nas proximidades do Ginásio Municipal. Ela foi resgatada e levada para cuidados veterinários. Segundo Érika, um laudo atestou a violação.

De acordo com a parlamentar e defensora da causa animal,  sem depoimento de testemunhas, não será possível confeccionar o boletim de ocorrência. O cidadão que presenciar maus-tratos e violência contra animais deve denunciar para Polícia Militar (190) e Guarda Municipal (199).

“Caso de Estupro (Zoofilia) em Botucatu. Todos os dias nos deparamos com situações de abandono e maus tratos, mas em todo o meu tempo na proteção animal não havia participado de um resgate assim. Ela foi resgatada e passou pela veterinária que atestou estupro e só por conta da afirmativa que estou postando a história aqui! Ela estava muito machucada e em sua vulva haviam larvas. Onde a maldade humana consegue chegar. Ela está acolhida e sendo tratada, ainda abana o rabinho… e isso é o que faz o meu coração despedaçar. Tenho o laudo veterinário da agressão, mas infelizmente não tenho o depoimento de quem viu, e sem isso não consigo elaborar o B.O. Mais uma pequena vida que não terá justiça por falta de provas”, disse Érika Liao.

Crime

Estuprar animais é considerado crime de acordo com o Artigo 32 da Lei de Crimes Ambientais nº 9.605/98. O chamado “sexo”, que não conta com consentimento do animal e muitas vezes o machuca, pode render a detenção por três meses a um ano e multa.