Vigilância encontra serpente ‘dócil’ na região sul de Botucatu

A Vigilância Ambiental em Saúde foi acionada na noite de quinta-feira, 01, para resgatar uma serpente na região sul de Botucatu. Chegando ao local a VAS constatou que se tratava de uma Pantherophis guttatus, popularmente conhecida como “cobra do milharal” ou “corn snake”.

Essa é uma serpente não peçonhenta originária dos EUA e México, onde são largamente reproduzidas e comercializadas como pet. Sua natureza é ser dócil, de fácil manejo e manutenção em cativeiro.

São animais de hábitos noturnos, mas que na primavera podem ser encontradas forrageando também durante o dia. Se alimentam principalmente de pequenos mamíferos, mas também podem mirar aves, lagartos e até insetos.

Essas serpentes têm expectativa de vida de até 18 anos aproximadamente. Um animal adulto mede em média 80 cm, podendo chegar a 150cm. Apesar de não possuírem veneno, na natureza, ao se sentirem ameaçadas, podem morder como defesa.

Como não se trata de um animal da fauna brasileira, é classificado como exótico pelo IBAMA, isto significa que sua criação, posse, reprodução e comercialização configuram crime ambiental passível de multa alta, apreensão do animal e processo judicial.

A infração é regulamentada pela Lei de crimes ambientais número 9.605/98, que transformou em crime introduzir novas espécies exóticas no Brasil após sua criação. A serpente foi encaminhada para o Centro de Medicina e Pesquisa em Animais Selvagens (CEMPAS) da UNESP de Botucatu-SP.

Fotos – divulgação Facebook